Em defesa da Educação Pública Superior e por reajuste nos salários, Docentes da UFPA iniciam Greve

O Sintepp apoia o movimento

Começou nesta segunda-feira (6) a Greve na Universidade Federal do Pará. Definida na assembleia da Associação dos Docentes da UFPA de 23 de maio, a paralisação já conta com a adesão dos Campi de Altamira, Castanhal, Cametá e Bragança, além do Campus Guamá e demais Institutos sediados em Belém. Técnicos/as da Instituição acompanham a agenda unitária.

O movimento é em resposta ao bloqueio pelo governo Bolsonaro de 14,5% do orçamento discricionário do MEC e unidades vinculadas, o que representa cerca de R$ 1 bilhão a menos para as universidades federais. Só a UFPA terá R$ 28 milhões a menos no orçamento e corre sério risco de fechar as portas.

Grevistas reivindicam ainda 19,99% de recomposição salarial, a revogação da Emenda Constitucional 95/16 (Teto de Gastos) e o arquivamento da EM/PEC à Constituição 32/20 (Reforma Administrativa), da contrarreforma administrativa e da PEC 206/09, que prevê cobrança de mensalidade nas universidades públicas federais.

Veja abaixo as reivindicações dos/as servidores/as públicos/as federais da Educação Superior em greve:

Local

  • Garantir direito às promoções e progressões funcionais, conforme dispõe a legislação pátria (uma vez que desde fevereiro/2018 os órgãos da administração pública federal deixaram de promover tais progressões de maneira acumulada, bem como não efetuam pagamento de verbas relativas às ditas promoções/progressões de forma retroativa);
  • Ampliação dos RU’s;
  • Ampliação da Assistência Estudantil e melhor atendimento à saúde estudantil;
  • Arquivamento da proposta do Fundo Patrimonial
  • Pela contratação de pessoal (docente e técnico) via concurso público;
  • Pela melhoria da estrutura física e logística dos campi.
  • Em defesa da jornada de 30h para tod@s @s Taes e contra o ponto eletrônico;
  • Retorno do RU a R$ 2 para trabalhadores/as terceirizados/as, Taes e docentes;
  • Não à cessão dos bens e Taes da UFPA à Ebserh. Revogação do contrato com essa empresa;
  • Não à terceirização na UFPA. Lutar pela reativação de concurso público de cargos extintos.

Nacional

  • Contra os cortes orçamentários, pela recomposição dos investimentos públicos para a Educação Pública;
  • Reposição salarial emergencial da inflação do governo Bolsonaro, estabelecida em um reajuste linear de 19,99% para todas as categorias;
  • Contra o Decreto 11.072, de 17 de maio de 2022 (regulamenta teletrabalho e controle de produtividade no Executivo federal);
  • Contra as intervenções, em defesa da autonomia universitária;
  • Revogação da Nova Lei do Ensino Médio e das Novas Diretrizes para Educação Profissional e Tecnológica;
  • Imediata revogação da EC/95 (o famigerado “teto dos gastos”);
  • Retirada definitiva da PEC 32 (Reforma Administrativa).

Confira também a Agenda de Greve divulgada pela Adufpa

06/06 (SEG)

7H30 – Atividade nos portões 2 e 3
Instalação da greve e apresentação do orçamento da UFPA
Arrastão da Greve – Traga seu tambor, apito, panela
17h – Atividade nos portões 2 e 3
Arrastão da Greve

07/06 (TER)

8h30 – Arrastão da Greve
15h – Feminismo Liberal e Marxista
Professora Taylisi – ICJ
19H – Vigília no campus profissional

08/06 (QUA)

8h30 – Arrastão da Greve
15h – Oficina pele Negra, máscaras brancas (Gepegefi)
17h – Atividade portões 2 e 3
18h30 – Mostra de Cinema

O Sintepp se solidariza com a Greve da UFPA e vem a público prestar seu apoio.

Fora Bolsonaro e sua quadrilha!

© Copyright SINTEPP

Desenvolvido por Netozip

Receber informativos exclusivos

Cadastre-se para receber nossos boletins informativos, aviso de lives e reuniões do SINTEPP

Também não gostamos de SPAM, fique tranquilo, seus dados estão guardados de forma segura e utilizaremos exclusivamente para enviar nossas novidades.