Do ataque a direitos ao calote: a perseguição da gestão de Irituia aos (as) trabalhadores (as) em educação

No ano de 2019 (de janeiro a junho) SEMED/ PMI, como forma de perseguição aos profissionais do magistério da rede municipal de Irituia, resolveu arbitrariamente retirar a progressão horizontal dos trabalhadores que faziam jus a vantagem (garantida através da Lei Municipal nº 343/2010). Isso causou enormes prejuízos e desiquilíbrio financeiro a muita gente.

O Sintepp Irituia, através de seu departamento jurídico, impetrou mandado de segurança e conseguiu derrotar na justiça a voracidade da gestão municipal, fazendo que o direito líquido e certo retornasse aos contracheques de quem de direito.

No entanto, tal ataque da gestão de Irituia ao direito dos(as) profissionais do magistério de Irituia, mesmo que tenha sido derrotado pelo Sintepp na justiça, gerou resíduos (retroativos) que a Prefeitura deve aos trabalhadores até hoje. A partir da decisão judicial, o Sintepp já encaminhou vários ofícios solicitando que a SEMED/PMI pagasse o que deve para os profissionais, mas até o momento a prefeitura segue dando o CALOTE.

Não ao confisco!

Geisi Dias

Read Previous

SINTEPP Colares protocola ação cobrando gratificações durante pandemia

Read Next

Ação de obrigatoriedade de fazer quanto à expedição de portarias de promoção/progressão funcional de Marabá

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *