Conselho aprova deliberações sobre ‘novo’ Ensino Médio e Campanha Salarial

CER SINTEPP. 23.08. Mesa Campanha Salarial. Foto: Murilo Vale.

O segundo dia do Conselho Estadual de Representantes/CER do SINTEPP iniciou na manhã desta sexta-feira, 23, com uma singela homenagem de nossa entidade ao companheiro Maurilo Estumano. Dirigente de nosso sindicato, Maurilo faleceu em 14 de junho e deixa em cada um de nós um forte exemplo de luta em favor dos trabalhadores.

A professora da Universidade Federal do Pará e coordenadora da Adufpa Edivânia Alves fez a leitura do manifesto elaborado por sua entidade em defesa da UFPA e que rejeita o Programa Future-se, do governo Bolsonaro. Oportunamente, a educadora informou sobre o calendário de mobilizações e lutas definido pela Adufpa em assembleia geral dos docentes de ensino superior, realizada esta semana.

O Conselho prosseguiu com a mesa “BNCC e o novo Ensino Médio”. Cooordenada por Ivone Brasil, Monica Brito e Ronaldo Rocha a palestra contou com a colaboração dos professores Ronaldo Araújo (UFPA) e Whisney Messias (Regional Oeste do sindicato).

Após as intervenções, a coordenação apresentou e o plenário aprovou resoluções críticas ao tema que abrangem atividades de formação e agenda de luta contra esta ação intensionada do governo Bolsonaro e daqueles estados e municípios que servem a sua política, que pretendem empobrecer o ensino público, a linha principal de acesso da classe trabalhadora ao conhecimento.

Outra importante preocupação levantada na mesa foi a já percebida implementação das reformas da educação em nosso Estado, visto que a Seduc já sinalizou que o ensino médio não será mais anual e já notou-se a redução de carga horária e o gravissímo enxugamento do currículo.

Ainda pela manhã as/os conselheiras/os aprovaram adequações na programação, tendo as mesas “Comissão de Ética” e “Congresso Estadual e Plenária Intercongressual da CNTE” fundidas. Coordenando os trabalhos estiveram Beto Andrade, Conceição Holanda, Eusa Oliveira e Lucivan Sousa.

Foram apresentados informes sobre os processos em andamento na Comissão de Ética nos municípios de Goianésia do Pará, Moju, Jacundá e Parauapebas. Dois membros da CE foram reconduzidos, assumindo a tarefa os coordenadores estaduais Conceição Holanda e Mauro Borges. Também foi reiterado que sempre que se acolha uma nova denúncia a Regional, representante da Subsede, deve indicar um membro que não esteja envolvido na questão para colaborar com a apuração dos fatos.

Retornando do intervalo do almoço, o poeta santareno e conselheiro de nosso sindicato Noel Sanches declamou o poema “Teia”, uma expressão da produção literária de nossa categoria.

Em seguida ocorreu a mesa “Mulheres e o Movimento Sindical”, mediada por Cirlene Cabral e Conceição Holanda. As educadoras Alcione Souza, Mônica Brito e Sílvia Letícia Luz abordaram a luta histórica das mulheres pela equidade de gênero e pelo feminismo e os enfrentamentos à sociedade machista que nos direcionam para o desatrelamento de conquistas sociais e humanitárias.

O plenário aprovou por unanimidade a moção em solidariedade à professora de Itaituba Rose Silva, que no último dia 21.08 sofreu agressão machista e misógina enquanto estava em um momento de lazer, comprovando a vulnerabilidade imposta a mulher brasileira e o quão deve-se avançar, uma vez que nosso país registra números preocupantemente elevados de feminicídios e infrações dos direitos civis.

Continuando, as/os conselheiras/os participaram da mesa “Campanha Salarial”. Coordenado por Mauro Borges e Aleia Tenório, o debate precedeu informes dos coordenadores Regionais e da Estadual: Andréa Salustiano (Metropolitana), Álvaro Nazareno (Nordeste 1), Arnaldo Gomes (Sul), Beto Andrade (Estadual), Edwilson Barbosa (Tocantina), Eusa Oliveira (Marajó), Heloise Rocha (Oeste), José Júnior (Baixo Tocantins), Lucivan Sousa (Xingu), Silvio Cesar (Nordeste 2) e Vanildo Pereira (Sudeste).

Após as falas o CER aprovou a realização de Seminário sobre Previdência Pública, a participação no Grito dos Excluídos de 7 de setembro e a organização no Pará da Paralisação Nacional em 21 de setembro.

Para finalizar o CER, o coordenador de Formação Mateus Ferreira apresentou, em mesa coordenada por Thiago Barbosa, uma síntese sobre o Financiamento da Educação e o novo Fundeb, sendo definida a realização de um seminário amplo para formular a proposta do SINTEPP a respeito.

Acontece também hoje, 23, a partir das 22h, na Tuna Lusa Brasileira, a programação cultural.

Amanhã, 24, às 9h, o SINTEPP participa do ato público em defesa da Amazônia, na Praça da República.

Geisi Dias

Read Previous

CER inicia com debate sobre conjuntura atual

Read Next

Nota em Defesa da Amazônia

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *