Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-includes/class-wp-post-type.php on line 528

Warning: session_start(): Cannot start session when headers already sent in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-content/plugins/unyson/framework/includes/hooks.php on line 259
FECHAR ESCOLAS DO CAMPO É CRIME – SINTEPP

FECHAR ESCOLAS DO CAMPO É CRIME

FECHARAM TAMBÉM A ESCOLAS SÃO MARCOS E ANEXO CAMPO DO JORDÃO NO KM 10.

NENHUMA ESCOLA A MENOS!

A coordenação do SINTEPP realizou ontem, 8, visita in loco e dialogou com vários pais e mães de alunos que tiveram sua escola fechada pelo prefeito Manoel Maranhense e seu secretário de educação Rosivaldo Paranhos. Toda SOCIEDADE portelense precisa saber o que estão fazendo com a educação PÚBLICA do nosso município. Também fecharam a Escola anexa São Marcos na estrada, ramal do 12, km 16. A escola tinha mais de 30 alunos, entre eles uma turma de educação infantil. Também não houve nenhum diálogo com a comunidade escolar.

Os pais estão se sentido desrespeitados pela decisão tomada unilateralmente pelo governo municipal, pois até agora não sabem quais foram as razões que motivaram o fechamento da escola. Alguns pais ainda não sabem onde os filhos estão matriculados, outros ainda não levaram seus filhos porque a escola fica muito longe. Os alunos foram transferidos para vila Betel e outros para vila Gomes. O problema é que essas escolas ficam longe da casa dos alunos e a SEMED até o momento não resolveu a situação de transporte para as crianças e os pais não tem condições, em sua maioria, de levar os filhos até a escola.

As crianças também estão passando menos tempo na sala de aula. Quando estudavam próximo de suas casas a aula iniciava as 07h da manhã e agora conseguem chegar as 8h, perdendo 1h de estudo diariamente.
Nesse período de chuva a situação de deslocamento dos alunos fica ainda mais grave, uma vez que, as estradas de Portel são quase intrafegáveis. Os pais também lamentam que agora não podem ser mais tão presentes na escola dos filhos, pois quando a escola era na comunidade eles conversavam sempre com a professora sobre o aprendizado dos filhos. Algumas crianças estão com dificuldade de adaptação na outra escola considerando que já tinham uma relação de pertencimento com a escola da comunidade, pois a escola existe há mais de 10 anos.

Além das crianças fora da escola os jovens e adultos também tiveram seu direito a educação escolar roubado, pois na escola São Marcos havia uma turma de EJA e agora em uma escola mais longe não terão condições de acesso e permanência, segundo relato de comunitários.

A comunidade apresentou no ano passado um abaixo-assinado (destinado ao secretário de educação) feito pela comunidade, manifestando o interesse pela permanência da escola. Neste documento a comunidade fala da importância da escola na educação dos filhos e expõe as dificuldades que serão enfrentadas com o fechamento da escola. Querem somente escola para seus filhos.

Fecharam também a escola do Km 10, a Semed alegou o número de alunos que era baixo. Porém, fecharam uma escola com mais de trinta alunos. Não tem como justificar o fechamento das escolas, cada escola possui suas singularidades que precisam ser consideradas tecnicamente e com muita responsabilidade de acordo com que diz a lei vigente sobre fechamento de escolas no campo. Os alunos do Km 10, alguns foram transferidos para a cidade e outros não sabem onde estão matriculados e neste caso ainda não iniciaram o ano letivo.
A escola do Km 10 apesar do número razoável de alunos é uma situação peculiar na educação do campo que precisa de um olhar de respeito ao direito da criança. Esses alunos entre crianças, jovens e adultos ficam entre estudar na cidade e encarar diariamente 10 km e estudar em uma escola da cidade, enfrentando a dificuldade da estrada e seus perigos quanto a violência ou estudar na escola Betel e vila Gomes que fica ainda mais longe e com os mesmos problemas na estrada. Neste caso é óbvio que a escola precisa ser reativada urgentemente no km 10.

O prefeito Manoel Maranhense e secretário Rosivaldo Paranhos estão USURPANDO para além dos bens materiais dos portelenses, estão tirando o DIREITO a educação de nossos filhos e filhas. Esse é nosso bem mais precioso.

O SINTEPP também procederá com denúncia formal junto ao Ministério Público e demais órgãos competentes.

QUANDO SE ABRE UMA ESCOLA SE FECHA UM PRESÍDIO!

SINTEPP- Subsede de Portel
Coordenação de comunicação

netozip

Read Previous

8 de Março – Dia internacional da Mulher

Read Next

Em Redenção, manifestação contra Reforma da Previdência marca as comemorações ao Dia Internacional da Mulher


Warning: session_start(): Cannot start session when headers already sent in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-content/plugins/unyson/framework/helpers/class-fw-session.php on line 13

Warning: session_start(): Cannot start session when headers already sent in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-content/plugins/unyson/framework/helpers/class-fw-session.php on line 13

Warning: session_start(): Cannot start session when headers already sent in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-content/plugins/unyson/framework/helpers/class-fw-session.php on line 13