Início de ano com ataques aos servidores!

Neste início de 2019, sob a nova administração de Helder Barbalho, os servidores do SEDUCÃO receberam a visita do governador, indicando assim o início de um novo diálogo entre governo e trabalhadores. Porém, essa expectativa durou pouco. Com o argumento da necessidade de contenção de despesas, o governo Helder no início de janeiro publicou no Diário Oficial do Estado o corte da Gratificação de Tempo Integral (GTI) e hora extra de todos os servidores efetivos lotados na SEDUC sede, sem aviso prévio, gerando total descontentamento dos trabalhadores, que foram surpreendidos e desta forma não prepararam seu orçamento para este corte abrupto. Esta medida gerou um clima de desespero entre servidores e servidoras, muitas a ponto de se aposentar, que diante de anos sem reajuste salarial, encontram-se totalmente endividados junto ao Banpará, o que causou grande impacto nos seus salários no final de janeiro. Com esta medida, também aumenta o volume de trabalho para os servidores, além de que a administração iniciou um processo de criação de escala de serviço, solicitando aos setores que definissem os servidores que trabalhariam no turno da manhã e no turno da tarde, o que não foi aceito por boa parte dos trabalhadores.

Além disto, foi tomada a medida de remoção dos servidores com cargos de merendeira, agente de portaria e auxiliar operacional, muitos lotados na SEDUC há mais de 10 anos, para as escolas, sem nenhum aviso prévio, nem direito a saber para qual escola seriam lotados. Servidores de licença saúde receberam memorando de remoção, dentre tantos absurdos no atendimento dispensado a estes servidores que há tantos anos dedicam sua atividade laboral a esta secretaria. Esta medida foi comunicada praticamente como conversa de corredor, causando sérios transtornos na rotina de trabalho, bem como incertezas que afetam a saúde mental dos trabalhadores atingidos.

Estas medidas desencadearam a mobilização dos servidores, que se reuniram no dia 08/02 após o expediente para tomar uma atitude, e foi deliberado realização de um ato na segunda, dia 11/02, solicitando agenda com a Secretária de Educação. A mesma recebeu a comissão de servidores que levaram as pautas deliberadas na reunião e o descontentamento com as medidas tomadas, cientes de que as mesmas apesar de estarem dentro da legalidade, tem sua forma de execução questionável, bem como desrespeitosa aos servidores desta secretaria. A secretária, Profª Leila Freire, estava prestes a viajar, mas se comprometeu a analisar as questões apresentadas, bem como suspendeu provisioriamente as remoções de servidores lotados na SEDUC para as escolas, deixando agendada uma reunião nesta sexta, dia 15/02, para tratar da pauta apresentada.

Após a reunião, foi definido pelos participantes do ato a realização de uma assembléia neste dia 15/02 às 14h na sede da SEDUC, para dialogarmos sobre as deliberações desta reunião com a Secretária e os próximos passos do movimento. Os servidores administrativos e operacionais estão em alerta e em constante mobilização para cobrar soluções para os ataques que estão sofrendo.

Não há vitória sem luta!!!

netozip

Read Previous

Irituia convoca ato público para 21.02

Read Next

Educadores de Jacundá ocupam prefeitura