NOTA PÚBLICA  – SINTEPP CASTANHAL

O SINTEPP, como uma organização, que representa os Trabalhadores e Trabalhadoras da Educação Pública do Pará, cujos princípios estão voltados ao respeito, à educação e à solidariedade entre os seus associados, RECRIMINA qualquer tipo de violência praticada e sofrida pelos seus membros, bem como a qualquer cidadão do mundo. Por isso, o sindicato reitera que NÃO CONCORDA com atos que não considerem esses princípios como caminhos norteadores a uma convivência pacífica e ordeira.
Todavia, é importante esclarecer, principalmente, ao cidadão castanhalense, que o episódio ocorrido nessa terça-feira dia 05 de fevereiro de 2019 entre a servidora pública municipal e a vereadora Regina Abreu retrata, infelizmente, uma situação de violência provocada por toda uma conjuntura em que todos os trabalhadores e trabalhadoras da Educação estão envolvidos. Desta feita, o Sindicato apresenta a sua solidariedade a ambas as partes.
A saber: À vereadora, porque entende que a Democracia neste País permite a todo cidadão escolher o lado que quer seguir e, embora a parlamentar tenha votado contra o trabalhador(a), merece o respeito pela escolha.
À servidora municipal, porque ela, assim como os mais de 1000 funcionários públicos entre professores, professoras e especialistas são vítimas do famigerado DECRETO DA MALDADE, no qual o servidor(a) encontra-se num verdadeiro pesadelo, em que há requintes de tortura. Ninguém fica com o estado mental, físico e emocional inteiros e inabalados quando se impõe um corte de salário de até 30%. Solidariedade à professora, também, por entender que O RECESSO de 15 dias do professor(a) NÃO
FOI RESPEITADO.
Os profissionais estão adoecendo por causa dessa situação humilhante de estar quase todos os dias sob sol e chuva em busca de garantir um direito conquistado e garantido por lei; e, aqui, cita-se essa servidora. Este sindicato não a condena por saber que o limite físico e mental de todos esses lutadores e lutadoras está por um fio. O equilíbrio mental, emocional e físico que deveriam ser restaurados no recesso, foi-lhes negado.
Enfim, são muitos os motivos que poderiam ou podem explicar o que ocorreu nessa terça-feira, porém é importante destacar que todas as pessoas são passíveis de erros e que assim como a vereadora foi vítima, a servidora não deixa de ser uma também.
O SINTEPP, portanto, quer deixar claro que todos, sem qualquer exceção, merecem respeito e que o trabalhador e trabalhadora quando estão nas ruas gritando, clamando e pedindo apoio e atenção NÃO SÃO VAGABUNDOS OU VAGABUNDAS QUE NÃO TENHAM NADA A FAZER OU QUE NÃO TENHAM NADA A LAVAR NAS SUAS CASAS. 
RESPEITEM-NOS!
Att. Coordenação Geral SINTEPP – Subsede Castanhal

 

netozip

Read Previous

Coordenação de Tucumã e Assessoria Jurídica realizam reunião

Read Next

SEM PAGAMENTO, SERVIDORES DA EDUCAÇÃO DE BREVES/PA CONTINUAM EM GREVE