MOÇÃO DE SOLIDARIEDADE – Carlos Daniel

Em assembleia geral realizada em 03 de junho (sexta-feira), às 9h30, no Centro Social de Nazaré, os servidores estaduais, lotados na Secretaria de Educação do Estado do Pará (Seduc), aprovaram por unanimidade Solidariedade total a Carlos Daniel Gomes Toni, ex-dirigente do Sindsef-SP (Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Estado de São Paulo), que foi exonerado do serviço público no dia 28 de abril deste ano por um caso de perseguição política no Instituto de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Carlos Daniel, então coordenador de fiscalização do Ibama e administrador do Controle de Segurança dos Portos (Codesp), autuou e determinou a interdição do Porto de Santos por falta de licença ambiental, além de multa à empresa responsável. Carlos Daniel então sofreu “sucessivas tentativas de intimidação e coação às suas atividades sindicais”.

Os (as) trabalhadoras (es) da Seduc, portanto, decidiram pelo repúdio à “perseguição política ao servidor Carlos Daniel Gomes Toni e apoiam toda e qualquer manifestação em busca de sua reintegração”.

“Assédio moral e perseguição são armas utilizadas contra os que se rebelam não somente contra a política de sucateamento, mas também contra os crimes à administração pública”, é o que diz um dos trechos de uma Moção Oficial que já circula nos meios eletrônicos e redes sociais, e busca reverter o caso.

Belém/Pa, 09 de Junho de 2016.

Geisi Dias

Read Previous

Prefeitura de Tomé-Açu é investigada por desvio de verbas federais

Read Next

Capitão Poço diz não a proposta de Jatene|Ana Hage de reduzir a Matriz Curricular

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *