Educadores de Curuçá foram as ruas pelo PCCR Unificado e melhorias para o ensino público

A Coordenação do Sintepp Subsede Curuçá, no Nordeste paraense informa que realizou vitoriosa paralisação no último 03.06 na Rede Municipal de ensino. Entre as pautas de reivindicação estavam a unificação do PCCR, melhorias na educação e atrasos de salários.   

A atividade ocorreu na manhã do último dia 03 de junho, e contou com a participação da Coordenação Estadual do Sintepp, representada por Thiago Barbosa e Cleber Rezende, da Direção Regional Nordeste I representada pelo educador Saulo Ribeiro, além da presença da professora Marcia Pinheiro da Coordenação Distrital de Belém, que somaram forças com as (os) Trabalhadoras (es) em Educação do município, e tomaram as ruas da cidade em caminhada na luta pelo Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) Unificado e por melhorias na educação pública municipal.

Concentrados desde as 7h30 da manhã no Terminal Rodoviário da cidade, os Educadores foram às ruas chamar a atenção da sociedade sobre as demandas ainda não atendidas pela prefeita Nadege Fereirac (PSDB), e por melhorias nas instalações físicas de algumas escolas da Rede Municipal de ensino, além da tentativa, via decreto, de aumentar a carga horária de trabalho dos servidores de apoio, até então sem aumento de salários.

Na tentativa de desmobilizar a paralisação marcada para o dia 3 de junho, a prefeitura de Curuçá, de forma desesperada, liberou o pagamento justamente neste dia, e enviou ao Sintepp Curuçá a minuta do PCCR dos Trabalhadores em Educação daquele município, que foi rechaçada pela Categoria, por conter pontos nocivos e retrógrados aos servidores.

No decorrer da caminhada, a solidariedade da população foi uma marca. Comerciantes, comerciários e trabalhadoras/es de outras categorias demonstraram apoio a causa, o que animou o ato, a cada fala no carro som. A certeza de que a vitória da classe trabalhadora educacional é mais do que justa.

Ao chegar a Câmara Municipal curuçaence, uma Comissão procurou a presidência da Casa para ser recebida. Após quase uma hora de espera, a Categoria resolveu tomar conta das galerias, e ocupou a Câmara, possibilitando enfim a abertura dos debates.

Enquanto a Casa de Leis permanecia ocupada, outra Comissão solicitou uma conversa com o secretário municipal de educação, que a recebendo expôs os motivos e dificuldades de atender todas as demandas da Categoria, e após cerca de uma hora de conversa, ficou deliberada a formação de uma Comissão para rediscutir o PCCR, para reunir já no dia 6 de junho, assim como para dar encaminhamento de não desconto do dia da paralisação nos contracheques dos servidores.

Ainda na Câmara Municipal, o debate foi proveitoso. Os vereadores ouviram as demandas dos educadores nas exposições dos representantes da Categoria e dos dirigentes do Sintepp, e ao término ficou também deliberado que o Poder Legislativo irá acompanhar as discussões das reivindicações dos servidores.

Dentre os itens da Pauta de Reivindicações, temos alguns considerados os principais e indispensáveis:

  • Aprovação do PCCR Unificado para todos os Trabalhadores em Educação;
  • Decreto que autoriza as 200 horas para as (os) Professoras (es), com 1/3 de Hora Atividade;
  • Manutenção da carga horária de trabalho no patamar de 30 horas semanais para as/os servidoras/es de apoio;
  • Pagamento da gratificação de Escolaridade;
  • Realização da IV Conferência Municipal de Educação de Curuçá;
  • Implementação das políticas contidas no Plano Municipal de Educação, aprovado há mais de um ano.

Geisi Dias

Read Previous

Estudantes ocupam escola há uma semana

Read Next

14 de junho: "Paralisação Estadual contra o calote do Piso de Jatene"

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *