Sistema Modular de Ensino vs Projeto Mundiar da Rede Globo

O SOME, faz parte do sistema educacional do Pará desde 1980 e hoje através da lei estadual 7806/14 (LEI DO SOME) funciona como Política Pública Educacional do estado. Para se ter uma ideia do crescimento do Sistema de Organização Modular de Ensino – SOME, em 2013 o SOME já atendia a 98 municípios, 413 comunidades, 38.134 estudantes e possuía em seu quadro docente 1.123 professores.

Atualmente temos em nossa conjuntura estadual do SOME grandes deficiências devido ao não comprimento da lei 7806/14 por parte da SEDUC, comprometendo assim as estruturas pedagógicas, as condições de trabalho docente, incluindo a falta de segurança nas escolas. O governo apesar de ter aprovado a Lei Específica do SOME que foi uma luta árdua da categoria, não investe na melhoria do SISTEMA DE ORGANIÇÃO MODULAR DE ENSINO – SOME, o que deixa muito a desejar, quando não promove concurso público para suprir as demandas docentes ao longo do Estado, provocando assim a farsa de uma reposição de aulas de diversas disciplinas, deixando o ensino de nossos alunos do campo, das águas, florestas e aldeias indígenas, com uma deficiência perniciosa. Além disso, o governo não constrói escolas do Estado o que faz com que as escolas da rede municipal de ensino fiquem superlotadas e sem espaço para que os alunos do Ensino Médio Modular tenham um espaço digno para bem aproveitarem as aulas que ali são ofertadas. Alunos e professores ficam à mercê da violência e de salas de aula superlotadas nas escolas e muitas vezes espaços sem as mínimas condições da prática educacional.

Sempre foi uma demandas das UREs e Escolas Sedes a AUTONOMIA em sua organização Didática, Pedagógica e de Calendário, e a Coordenação Estadual do SOME propaga que esta autonomia já é fato; porém, o que estamos observando é que a Coordenação Estadual do SOME quer IMPOR, ao arrepio da Lei do SOME no seu “Art.8, § 1º A lotação de professor do quadro docente do SOME, por circuito e módulo, será feita conjuntamente pela Direção de URE’S, Escolas Sedes, Supervisão Pedagógica, e Coordenação Geral do SOME, observando a diversidade geográfica com diferentes distâncias entre as localidades e as sedes na composição dos circuitos”, uma CENTRALIZAÇÃO na elaboração do calendário de Aulas/Reposições, conforme documento enviado para as UREs em 04 de Dezembro de 2015.

Não satisfeito com esse cenário de caos na educação paraense e especificamente no SOME, o DESgoverno atual do Pará ainda quer continuar iludindo nossos alunos do campo, águas, florestas e aldeias indígenas, inserindo na marra novos programas para substituir o SOME, um exemplo disso é o PROGRAMA MUNDIAR, o qual sugere substituir o SOME nas comunidades, e onde ao invés dos alunos terem aulas presenciais com professores de TODAS as disciplinas que compõem a grade curricular da base comum como é o real direito dos alunos desse Estado, o governo Jatene quer impor ao nosso alunado assistir “aulas” com a presença de um professor multidisciplinar para orientar as vídeo-aulas, que serão repassadas através de uma televisão ao longo do período de 4h diárias. Se com um corpo docente decente o Ensino no SOME já tem suas dificuldades, e nosso alunado já é prejudicado por esses fatores, imaginem com apenas um docente e uma televisão o que acontecerá com o futuro do Ensino Médio no campo, o que acontecera com o aprendizado dos mais de 38 mil alunos existentes no SOME? É certamente estratégia do governo não formar nossos alunos em cidadãos críticos e conhecedores da nossa realidade, e sim DESINFORMAR…transformá-los em criaturas alienadas e realmente MUNDIADAS…

Precisamos nos organizar para mais essa batalha, unir os nossos alunos e todas as comunidades e esclarecer IMEDIATAMENTE a todos eles que a substituição do SOME por qualquer outro programa, seja MUNDIAR, SEJA EJA ENSINO MÉDIO, SEJA SABERES DO CAMPO ENSINO MÉDIO, SEJA SEI SISTEMA EDUCACIONAL INTERATIVO E A MUNICIPALIZAÇÃO DO SOME EM VARIOS MUNICIPIOS, SÃO TODOS EXTREMAMENTE DANOSOS A EDUCAÇÃO DO PARÁ. SÓ FORTALECEREMOS ESSA LUTA SE BUSCARMOS O APOIO DAS COMUNIDADES E DE NOSSOS ALUNOS, O QUE PRECISA SER FEITO DE IMEDIATO, NÃO PODEMOS MAIS PERDER TEMPO, PRECISAMOS SAIR DA ZONA DE CONFORTO E LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS DE VERDADE, E NÃO FAZERMOS PARTE DO DICURSO DO GOVERNO E SERMOS TAMBEM PARTE DAQUELES QUE ELES QUEREM MUNDIAR (ENFEITIÇAR)!

Profa. Arleia
Prof. Vinicio Nascimento
Prof. Thiago Barbosa
COORDENAÇÃO ESTADUAL

boletim_2016_04_janeiro_some2

boletim_2016_04_janeiro_some22

Sintepp Sindicato

Read Previous

23 e 24 de fevereiro de 2016

Read Next

Feliz ano novo: "Quando lutamos juntos temos chances de acertar mais!"

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *