Categoria mantém acampamento no Hangar e prepara ações do feriado (4) na Feira

Sexta-feira, 5, tem assembleia geral na EE. Cordeiro de Farias

Os (as) trabalhadores (as) em educação acampados no Hangar desde a segunda-feira, 1, deram prosseguimento as atividades definidas na noite de ontem. Pela manhã, após a organização da equipe de infraestrutura, houve a continuação da construção do painel “As mãos que constroem a educação”, que contou inclusive coma adesão de crianças e demais participantes da XIX Feira Pan Amazônia do Livro.

Também permanece no local a Feira do Livro dos Excluídos, organizada pelo Sarau Multicultural, grupo que se manteve na ocupação Solar das Artes e se aglutinou à greve depois da ação de desapropriação do prédio do Solar da Beira localizado no Ver-o-Peso, pelo prefeito Zenaldo Coutinho. Houve ainda Sarau Literário, onde se contou com a colaboração dos educadores das EE. Cornélio de Barros, Tiradentes II e Serra Freire.

Após o intervalo do almoço, foi feita a oficina de cartazes. No intervalo para o início do cortejo fúnebre pelos corredores da feira, onde simbolicamente a categoria sepulta a gestão de Jatene/Helenilson (PSDB), ocorreu a apresentação dos artistas de rua do Projeto Palco Aberto, que se reúne no último final de semana de cada mês no Anfiteatro da Praça da República e, nos sábados anteriores em bairros da periferia de Belém. Ao final do cortejo, o Coletivo Casa Preta abriu uma roda de tambores e foram entregues aos estudantes kits do Enem, doados pelos professores da escola Souza Franco, coordenados pelo professor de Física Anselmo Junior. A proposta de “aulão do Enem” foi inviabilizada pela chuva e atrasos na programação. Porém, o Sintepp agradece a iniciativa dos professores dos eixos de Ciências Exatas e Naturais, Ciências Humanas, Códigos de Linguagem e Matemática que permanecem na ocupação dinamizando o espaço e interagindo com seus alunos.

Conforme exposto no resumo de terça-feira, 2, enquanto acontecem as ações na feira do livro, a Coordenação do Sintepp realizou visitas ao Ministério Público e Assembleia Legislativa (Alepa).

Durante a manhã no MP, houve debate com o MEC. Depois a Coordenação do Sintepp, acompanhada por duas representantes da base da categoria que apresentaram seus contracheques e as situações vivenciadas nas escolas, reuniu por cerca de uma hora com a promotora Graça Cunha e expuseram novamente que a insistência do governo de descontar os dias de greve, coloca em serio risco os 200 dias letivos previstos na LDB.

De lá, a mesma equipe foi para a Alepa e conseguiu pré-agendar uma reunião com os parlamentares para a tarde, na busca de espécie de efeito suspensivo da decisão judicial que anistiasse os descontados. Quatro deputados reuniram com o sindicato, dentro eles o Presidente da Casa, Márcio Miranda.

Todos os problemas foram expostos, inclusive os erros nas correções, que contraditoriamente o governo corrigiu, mas que apresentam novos erros. Os deputados confirmaram que buscarão diálogo com o governo em cima das propostas já feitas pelo Sintepp, visto que o quadro de enxugamento do ano letivo imposto pelo governo no ano passado (de um mês letivo, aprovado forçadamente no Conselho Estadual de ensino) não pode se repetir e a sociedade como um todo nota que o maior prejudicado com a greve é o estudante.

A ação violenta do governo contra a categoria fere diretamente os estudantes. Ainda que em outras tentativas de intervenção do legislativo, os parlamentares tenham ouvido do próprio governo que o mesmo resolveria a sua maneira as questões pendentes da greve, os deputados insistirão e espera-se que até amanhã (4) ou na sexta-feira (5) devam apresentar uma posição desta tentativa de mediação com o governo para os educadores.

O Sintepp informa ainda que em virtude do feriado não haverá expediente externo na sede do sindicato. Foram, portanto divididas as tarefas no acampamento entre os educadores presentes e a programação para esta quinta-feira (4) será a seguinte:

16h00 – Oficina de cartazes

16h30 – Aula pública e roda de conversa com Nazareno Tourinho

17h00 – Informe jurídico

Outra decisão importante foi a de transferência do local da assembleia de sexta-feira (5), que ocorrerá às 16h00, na EE. Cordeiro de Farias. Por isso fique atento (a) e avise os colegas.

Sintepp Sindicato

Read Previous

A educação está na luta! Categoria faz encenação e cortejo fúnebre no Hangar durante Feira Pan Amazônica do Livro

Read Next

05|Junho – Assembleia Geral na EE. Cordeiro de Farias, 16h

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *