Quem luta também educa, a GREVE está mantida

Categoria, reunida em assembleia geral na EE. Cordeiro de Farias, aprova continuidade da GREVE

O Sintepp informa que os trabalhadores em educação da rede estadual de ensino, reunidos em assembleia geral nesta sexta-feira (8), na EE. Cordeiro de Farias em Belém, deliberaram pela manutenção da greve.

A assembleia começou às 9h00, na quadra da escola, com a apresentação da metodologia e informes gerais. Logo após foi aprovada a divisão em grupos para avaliação do movimento e coleta de propostas de encaminhamento. No intervalo, a categoria apresentou dinâmicas utilizadas de maneira crítica para expor para a sociedade a indignação dos educadores paraenses com a postura arrogante de Jatene|Helenilson, ao fecharem a mesa de negociação e aplicarem de forma ilegal o corte de ponto.

Por volta das 11h00 foi reinstalada a assembleia que contou primeiramente com informes do setor jurídico do sindicato e posteriormente procedeu-se a inscrição para apresentação do resultado dos grupos. Observe os pontos em destaque que embasaram os debates:

Aulas Suplementares

Proposta da categoria    

Garantir na lotação de 2015, limitando a extrapolação em até 260h em regência, o que gera na remuneração 132 aulas suplementares. Uma vez que o mesmo não realizou concurso público.
 

Jornada de 1/3 de hora atividade

Proposta da categoria

Que seja aplicada a jornada de 1/3 em 2016, assegurando até 240 horas de regência conforme a lei Nº 8.030/2014.
 

Eleições para direção de escola

Proposta da categoria

Que seja construído um cronograma estabelecendo prazos para a realização das eleições, com a participação do Sintepp.
 

Retroativo do Piso de 2015

Proposta da categoria

Quitação em até dezembro de 2015.
 

PCCR UNIFICADO

Proposta da categoria

Que seja encaminhado para a Alepa, no prazo máximo de 2 meses, sendo incluído na LDO do estado.
 

Concurso público

Proposta da categoria

Realização de concurso público para a Seduc, com a participação do Sintepp na comissão de organização.
 

Reforma nas escolas

Proposta da categoria

Que o governo apresente um cronograma de reformas, com os respectivos prazos de início e término.
 

Após os informes dos grupos Metropolitana (Sta Izabel, Marituba e Benevides), Ananindeua, Regionais (Oeste, N1), SOME e distritos de Belém: DABEL, DASAC, DAICO/DAOUT, DABEN, DAENT, que uniformemente alinharam-se pela manutenção da greve, continuidade da mobilização, elaboração de estratégias jurídicas e midiáticas para impedir que o governo continue confundindo a sociedade e manipulando informações que descredenciem a legitimidade do movimento a Coordenação do Sintepp apresentou balanço político que conteve informes das tentativas de retomada de negociação com o governo, porém o mesmo se recusa a responder mesmo diante da mediação realizado, via deputados ligados, inclusive a setores políticos aliados de Jatene.

O Sintepp registra ainda que as falas essencialmente  apontaram para denúncias de assédio moral promovido por diretores e gestores de USES/URES, tendo como resposta principal a garantia de esforços redobrados para realização de reuniões nas escolas em que se constatou refluxo e envio das denominadas faltas de greve. Porém a disposição da categoria em seguir na luta foi a tônica.

Para finalizar a atividade, a categoria definiu pela realização de caminhada pela Av. Almirante com parada no Tribunal de Justiça de Justiça e aprovou a realização nova rodada de assembleia e manifestação. Portanto a Coordenação Estadual orienta o Comando de Greve a encaminhar para o sindicato a agenda de atividades para a próxima semana.

O Sintepp adverte ainda que a responsabilidade pela continuidade da paralisação está na recusa do governo em formalizar um acordo por escrito que contemple interesses da comunidade escolar e não apenas expresse a política de redução de gastos públicos e, lembra que  não existe possibilidade de definição de calendário de reposição enquanto a greve estiver em curso. Portanto a mobilização será mantida, tendo a segunda-feira (11) sido apontada como ação de paralisação geral em todas as escolas do estado.

 
Fique atento (a) a AGENDA da greve
11|05 (segunda-feira)
Reuniões com a base e a comunidade escolar por distritos e regionais
 
12|05 (terça-feira)
8h00
Marcha da Educação, concentração em São Brás
 
Leia também:
Greve dos servidores da Educação Do Pará – Questões Jurídicas, por Walmir Brelaz .
http://sintepp.org.br/2015/05/greve-dos-servidores-da-educacao-do-para-questoes-juridicas/
 

Sintepp Sindicato

Read Previous

Categoria, reunida em assembleia geral na EE. Cordeiro de Farias, aprova manutenção da GREVE

Read Next

12|05 – Marcha da Educação, Pça do Operário São Brás

2 Comments

  • Dia 11/5 será às reuniões por distritos, mas não há informações sobre os locais.

  • Não tem assembléia marcada pra essa semana, qual a razão?

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *