Categoria resiste aos ataques de Jatene|Helenilson

A luta continua

Nossa categoria está de parabéns por enfrentar Jatene|Helenilson, e todo o aparato do estado, com milhões destinado as empresas de comunicação do Pará, na perspectiva de jogar a comunidade contra os (as) trabalhadores (as) durante todo esse período.

No último ato realizado na Alepa no dia 06.05, conseguimos reunir com os parlamentares (Márcio Miranda, Lélio Costa, Eliel Faustino, Iran Lima e Dirceu Ten Caten) que se comprometeram em tentar abrir um canal de debate com o governo, onde fomos informados que após conversarem com o governador o mesmo lhes informou que o governo havia chegado ao seu limite com as propostas apresentadas na última audiência ocorrida dia 28 de abril, quando Jatene|Helenilson de forma autoritária e intransigente encerraram as negociações.

O fato é que estes senhores além de darem as costas para a educação no estado, seguem emperrando o processo de finalização da greve ao cortar o ponto dos grevistas de forma aleatória e punitiva, com características raivosas e irresponsáveis para com o movimento.

Precisamos seguir na luta e mais do que nunca denunciar Jatene|Helenilson como nefastos para a educação neste estado, mostrando principalmente para a sociedade as péssimas condições das escolas públicas.

IMG-20150424-WA0002

Vide abaixo o comparativo entre as propostas da categoria e as respostas do governo.

Aulas Suplementares

Proposta da categoria    

Garantir na lotação de 2015, limitando a extrapolação em até 260h em regência, o que gera na remuneração 136 aulas suplementares.

 Resposta do governo

Garante o limite de 220 horas de regência, sendo no máximo 84 aulas suplementares, de acordo com o contracheque pago em abril.
 

Jornada de 1/3 de hora atividade

Proposta da categoria

Que seja aplicada a jornada de 1/3 em 2016, assegurando até 240 horas de regência.

Resposta do governo

Diz se comprometer com a jornada de 1/3 de hora atividade de 2016, tendo como teto 220h de regência.
 

Eleições para direção de escola

Proposta da categoria

Que seja construído um cronograma estabelecendo prazos para a realização das eleições, com a participação do Sintepp.

Resposta do governo

Acordo
 

Retroativo do Piso de 2015

Proposta da categoria

Pagamento em 03 parcelas (Maio, junho e julho).

Resposta do governo

Propõem pagar em 4 parcelas fixas. Duas agora em 2015(Agosto e novembro) e duas em 2016 (Maio e agosto).
 

PCCR UNIFICADO

Proposta da categoria

Que seja encaminhado para a Alepa, no prazo máximo de 2 meses.

Resposta do governo

Finalizar em até 60 dias os estudos de impacto, porém não tem previsão de encaminhamento para Alepa.
 

Concurso público

Proposta da categoria

Realização de concurso público para a Seduc, com a participação do Sintepp na comissão de organização.

Resposta do governo

Acordo. Governo aponta a realização do certame para o 2º semestre.
 

Reforma nas escolas

Proposta da categoria

Que o governo apresente um cronograma de reformas, com os respectivos prazos de início e término.

Resposta do governo

O governo diz ter retomado 40 obras da SEOP e que já teria licitado mais 80 obras. Além disso, estariam em fase de conclusão de projetos executivos de mais 84 obras.  Apresentaria no prazo de 15 dias a lista das referidas escolas.
 
Fique atento (a) a agenda da GREVE

08.05 (sexta-feira)
9h – Assembleia geral, EE. Cordeiro de Farias.
Leia também:
Greve dos servidores da Educação Do Pará – Questões Jurídicas, por Walmir Brelaz.
http://sintepp.org.br/2015/05/greve-dos-servidores-da-educacao-do-para-questoes-juridicas/

Sintepp Sindicato

Read Previous

Greve dos servidores da Educação Do Pará – Questões Jurídicas

Read Next

Categoria, reunida em assembleia geral na EE. Cordeiro de Farias, aprova manutenção da GREVE

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *