No terceiro dia de greve mais de 89 municípios parados. Jatene, a educação quer respostas

Chega ao número de 89 os municípios que confirmaram adesão a greve na Rede Estadual de ensino já neste terceiro dia de paralisação. Ainda que o secretário de educação, Helenilson Pontes, afirme levianamente que o movimento é do Sintepp, torna-se cada vez mais visível o expresso apoio de pais e estudantes.

Só nesta sexta-feira (27) ocorreram atos e manifestações, além de Belém, em Capanema, Marabá, Breves, Mãe do Rio, Castanhal e Tucuruí. No final de semana haverá panfletagem em praças e feiras. A partir da próxima semana diversos atos tomam conta do Pará inteiro.

Sem ter respostas para a categoria, o governo opta por tentar descredenciar um movimento legítimo. Como questionar uma greve que se inicia com cerca de 70% das escolas paradas? Este governo que nunca respeitou a educação põe a prova nosso poder de organização, isso não iremos aceitar. E nossas respostas serão mais atos e mobilizações.

Existem pontos na pauta que a comunidade escolar não abre mão. Repetidas vezes o Sintepp esclareceu: este movimento não é somente por salários, existem urgências na educação a que o governo está em débito há mais de cinco anos. Isso sem levar em consideração os outros tantos anos que o PSDB esteve a frente do governo.

A marca deste governo é o ataque, levado até as últimas consequências e custeado com dinheiro público. A nossa é e sempre será a organização e a unidade. O maior sindicato de trabalhadores da região Norte do país não se curva a governo nenhum. A greve está mantida e só será suspensa quando a base decidir.

O objetivo principal da greve é a não retirada de direitos e o estabelecimento de condições dignas de trabalho. A possibilidade de pagamento do piso não configura o pagamento. A imposição de redução de jornada prejudica o trabalhador e reduz ferozmente seu salário. A crescente violência nas escolas está levando a sociedade ao caos e a demora na execução das reformas não possibilita que as aulas sejam ministradas.

A agenda de atividades está intensa. Inclusive com ações espontâneas da comunidade escolar. Junte-se a nós neste importante movimento em defesa da educação pública.

Observe a agenda da greve:

28/03 (sábado)

1. Panfletagem nas feiras de Icoaraci, Guamá e Cabanagem, às 7h

2. Reunião com a comunidade no Temistocles de Araújo (Marambaia), às 8h

3. Reunião dos estudantes, às 9h, no Sintepp Estadual

29/03 (domingo)

Ato praça da República, às 9h

30/03 (segunda-feira)

1. Ato público DAOUT, às 8h, na EE. do Outeiro

2. Reunião de organização do Ato do DAENT de 01/04, às 15h, na EE. Cordeiro de Farias

3. Reunião do Comando na Luiz Nunes 15h

4. Reunião na EE Eunice Wiver (DASAC), 8h

31/03 (terça-feira)

1. Ato público DAICO/DAOUT às 9h, concentração da EE. Serra Freire e RE. Palmira Gabriel

2. Debate EE. Frei Daniel (DAGUA), às 9h

3. Manifestação em São Domingos do Araguaia, às 16h

01/04 (quarta-feira)

1. Ato público DASAC, concentração Pedro Alvares Cabral com Arthur Bernardes, às 9h

2. Ato público das escolas da Cidade Nova e Guajará. concentração: EE. Lucy Correa de Araújo, às 9h

3. Ato público DAGUA, concentração Av. José Bonifácio (São Brás), às 9h

4. Ato público DABEL, concentração: EE. Orlando Bitar, às 9h

5. Ato público DABEN, concentração: Av. Independência, às 9h

6. Ato público DAENT, concentração: Centro 4, às 9h

7. Ato público DABEN, concentração: EE. Comandante Klautau (Tapanã), às 9h

8. Ato público Marajó, concentração: EE. Elizete Nunes (Breves), às 8h

06/04 (segunda-feira)

Mobilização nas escolas

07/04 (terça-feira)

Ato contra a PEC de extinção dos concursos públicos

08/04 (quarta-feira)

Ato público, concentração: Trevo do Satélite, às 9h

09/04 (quinta-feira)

Assembleia geral, 9h

Só avança quem luta!

Sintepp Sindicato

Read Previous

Os trabalhadores da educação no Pará apoiam a greve dos trabalhadores da COMLURB

Read Next

SINTEPP interpela criminalmente o jornal O LIBERAL

3 Comments

  • Peço a correção da informação do ato publico do DAICO dia 31/03. Haverá duas ações no mesmo horário: a primeira as 9Hs com concentração na Escola Serra Freire e outra no mesmo horário (9hs) na escola Palmira Gabriel, que será uma caminhada desta escola rumo a sede da SEDUC.

  • Olá colegas,
    nós aqui em Juruti estamos na luta. A 7 ure e os diretores estão articulados juntos com os poderes ocultos do município/pseudo poder municipal. Querem que voltemos ao trabalho no dia 6 de abril. No entanto, deliberamos por continuar na greve.
    Até mais.

  • É isso mesmo Jabazinho, não se curve diante das ameças da burguesia que comanda o estado e municípios. Vamos ensinar eles ,como se luta uma classe de trabalhadores que defende a educação. O futuro de nossos jovens e filhos. É GREVE NELES !!!!!! È LUTAAAAA……. “Quem não luta pelos seus direitos não é digno de tê-los!”

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *