Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-includes/class-wp-post-type.php on line 528

Warning: session_start(): Cannot start session when headers already sent in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-content/plugins/unyson/framework/includes/hooks.php on line 259
Marcha Nacional em defesa da educação marca segundo dia de greve – SINTEPP

Marcha Nacional em defesa da educação marca segundo dia de greve

Baixe a versão em pdf para mobilizar

A categoria se organizou nesta manhã de quinta-feira, 26, na praça da República para realizar a grande marcha nacional em defesa da educação pública. O ato contou com a participação de diversas entidades que luta em favor da educação.

A passeata tomou a av. Pte. Vargas e adentrou a Nazaré. Na altura da sede da TV Liberal os educadores paraenses atearam fogo em exemplares do jornal. Foi uma ação de repúdio aprovada na assembleia de ontem (25) em resposta aos ataques baixos que o jornal fez no início desta semana, quando chamou os professores de mafiosos e trapaceiros.

Seguindo para o Centro Integrado de Governo (CIG), a manifestação contou com o expresso apoio dos estudantes. Que vozificavam em palavras de ordem: “Unificou! Unificou! É estudante junto com trabalhador!”

Diante dos prazos evasivos apresentados pelo governo na audiência desta quarta-feira (25), a greve toma cada vez mais eco. Só no primeiro dia de greve mais de 82 municípios paraenses já confirmaram adesão ao movimento. Os demais seguem realizando assembleia até a próxima segunda-feira (30).

Os trabalhadores não concordam com a limitação de 150h de efetiva regência imposta pela Seduc, especialmente porque a mesma fere a lei nº 8.030, aprovada no ano passado e resultado da greve de 2013. Além disso, ainda aguardam o pagamento do piso salarial nacional e seu retroativo referente aos meses de janeiro, fevereiro e março. As sinalizações do governo apontam para abril e maio. Mas que reais garantias a categoria tem?

A violência assola a comunidade escolar. O recente assassinato de um inspetor em pleno exercício de suas funções trabalhistas pôs à prova a fragilidade deste governo que não apresenta nenhuma ação enérgica para o combate ao caos social instalado. As propostas de implantação de um fórum para debater violência nas escolas, apresentado pelo Sintepp, segue engavetado há mais de cinco anos.

A lastima vivida durante o período das chuvas e os constantes desabamentos de tetos nos interiores das escolas se torna cada vez mais uma constante. Ontem enquanto a categoria lançava a greve, o teto da sala de informática da EE. Pedro Teixeira em Abaetetuba veio abaixo. O incidente só não teve dimensões maiores porque a escola já estava em greve.

Ocorreu também o despejo dos estudantes da EE. Tiradentes II no centro de Belém. E mais de 700 alunos permanecem sem saber onde vão estudar e tiveram sua documentação transferida para a EE. Orlando Bitar, porém sem a devida consulta aos pais e responsáveis.

O volume de problemas na educação pública do Pará só aumenta, mas o governo prefere fingir que está tudo bem. A categoria se pergunta: Por que ao invés de dar uma secretaria especial para a filha Izabela Jatene, com rendimentos que chegam a R$ 21.000,00, o governador não garante a lotação dos professores nas turmas que estão com necessidade e reforma as escolas que tem que suspender as aulas sempre que cai uma tempestade?

Uma extensa agenda de atividade nos distritos e cidades paraenses está aprovada. E a disposição dos educadores é pela luta pela não retirada de direitos. Acompanhe:

27/03 (sexta-feira)
1. Ato público em Breves, concentração na URE 13, às 9h
2. Reunião de estudos sobre o cenário de perdas no contra cheque, na EE. Raimundo Viana, às 16h
3. Reunião da Educação Especial e técnicos dos espaços pedagógicos, na EE. Cordeiro de Farias, às 15h
4. Ato público, concentração EE. Adebaro Klautau (Cordeiro de Farias), às 8h
5. Ato na ET. Integrado (Marambaia), às 7:30h
6. Marcha da educação em Capanema, às 9h
7. Reunião com os professores da Educaçao Especial de Santarém, na UEES, às 8h
8. Ato público Marabá, concentração: 4ª URE, às 9h
28/03 (sábado)
1. Panfletagem nas feiras de Icoaraci, Guamá, Cabanagem e Barreiro, às 7h
2. Reunião com a comunidade no Temistocles de Araújo (Marambaia), às 8h
3. Reunião dos estudantes, às 9h, no Sintepp Estadual
29/03 (domingo)
Ato praça da República, às 9h
30/03 (segunda-feira)
1. Ato público DAOUT, às 8h, na EE. do Outeiro
2. Reunião de organização do Ato do DAENT de 01/04, às 15h, na EE. Cordeiro de Farias
3. Reunião do Comando na Luiz Nunes 15h.
31/03 (terça-feira)
1. Ato público DAICO, às 9h, concentração da EE. Serra Freire
2. Debate EE. Frei Daniel (DAGUA), às 9h
3. Ato Público das Escolas do Julia Seffer 9h. Local: Escola Julia Seffer
4. Manifestação em São Domingos do Araguaia, às 16h
01/04 (quarta-feira)
1. Ato público DASAC, concentração Pedro Alvares Cabral com Arthur Bernardes, às 9h
2. Ato público das escolas da Cidade Nova e Guajará. concentração: EE. Lucy Correa de Araújo, às 9h
3. Ato público DAGUA, concentração Av. José Bonifácio (São Brás), às 9h
4. Ato público DABEL, concentração: EE. Orlando Bitar, às 9h
5. Ato público DAICO/DAOUT, concentração: EE. Palmira Gabriel, às 9h
6. Ato público DABEN, concentração: Av. Independência, às 9h
7. Ato público DAENT, concentração: Centro 4, às 9h
06/04 (segunda-feira)
Mobilização nas escolas
07/04 (terça-feira)
Ato contra a PEC de extinção dos concursos públicos
08/04 (quarta-feira)
Ato público, concentração: Trevo do Satélite, às 9h
09/04 (quinta-feira)
Assembleia geral, às 9h

Só avança quem luta!

AG7_6414 cópia AG7_6425 cópia AG7_6470 cópia AG7_6471 cópia

Sintepp Sindicato

Read Previous

III Encontro do Sistema de Organização Modular de Ensino – Pará | Amapá

Read Next

Contratação é ilegal e fere o direito de greve

2 Comments

  • O município de Limoeiro do Ajuru aderiu à greve no dia 27/03. Hoje às 8:00 hs, os professores fizeram esclarecimentos e panfletagem com caro som, pelas ruas da cidade. Entendemos que é preciso esclarecer os motivos da greve e conseguir o apoio da comunidade, para a nossa luta que é justa, democrática e necessária, para a melhoria das condições de vida e de trabalho da nossa categoria, para uma consequente melhoria da qualidade da educação no nosso estado do Pará.

  • O município de Limoeiro do Ajuru, aderiu à grave no dia 27/03, e hoje dia 30/03, os professores sairam pelas ruas da cidade, fazendo esclarecimentos sobre os motivos e necessidade da greve à comunidade, pois precisamos de apoio para o movimento. Houve também panfletagem.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Warning: session_start(): Cannot start session when headers already sent in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-content/plugins/unyson/framework/helpers/class-fw-session.php on line 13

Warning: session_start(): Cannot start session when headers already sent in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-content/plugins/unyson/framework/helpers/class-fw-session.php on line 13

Warning: session_start(): Cannot start session when headers already sent in /home/storage/6/6e/3e/sintepp/public_html/wp-content/plugins/unyson/framework/helpers/class-fw-session.php on line 13