A cegueira do descaso. Escolas afundam durante chuva desta tarde

Enquanto o governo Jatene (PSDB) faz paisagismo para a greve já anunciada para iniciar nesta quarta-feira (25) na rede pública de ensino do Pará, estudantes têm as aulas suspensas com antecedência. Motivo: alagamentos durante mais uma chuva na região metropolitana.

O Sintepp cobrou verticalmente a planilha de reforma das escolas, porém a resposta da Seduc e Sead foi de que a mesma estava em elaboração. Desde a gestão passada de Simão Jatene a comunidade escolar aguarda a execução de determinadas obras. No entanto, as reformas caminham a passos lentos. Isso quando começaram.

Na tarde desta terça-feira (24) as escolas Deodoro de Mendonça, no centro de Belém (recém “reformada”) e as escolas Gaspar Viana e Luiz Nunes Direito, em Ananindeua, amargaram mais um capítulo da triste realidade da educação pública e foram literalmente para o fundo.

Para a Coordenação do Sintepp é mais do que chegada a hora de dar um basta à situação. “Sinalizamos incansavelmente ao governo que a situação de inúmeras escolas da rede era insustentável. Ao que o mesmo só diz estar com problemas para liberação dos recursos do tão propagandeado Pacto pela Educação. Chegamos ao limite, e perguntamos ao governador: como ministrar aulas neste descalabro?”, questionou Alberto Andrade, Secretário Geral do Sintepp.

Amanhã (25) uma grande assembleia geral dará início à greve na Rede Estadual de ensino. A atividade ocorrerá às 9h, na Praça da Leitura em São Brás.

A categoria amarga, além do descaso com a ausência de reformas nas escolas, o não pagamento do piso salarial nacional e o enxugamento para 150h de regência na lotação 2015, por imposição da Seduc.

Só avança quem luta!

 
 

Sintepp Sindicato

Read Previous

26 de março – Dia nacional de luta em defesa da escola pública

Read Next

Relação dos municípios paralisados em função da truculência do gov. Jatene

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *