Falta de perspectiva para pagamento do piso 2015 desagrada Sintepp

Ocorreu na manhã desta sexta-feira (30) a primeira mesa de negociação entre Sintepp e governo Jatene (PSDB) na sede da Secretaria de Administração (SEAD). Além de Alice Viana, a reunião contou ainda com os secretários de Educação, Helenilson Pontes; do Igeprev, Allam Moreira e da Sefa, Nilo Noronha. Pelo Sintepp estavam os Coordenadores Estaduais, Mateus Ferreira, Beto Andrade, Iraldo Veiga e Hamilton Correa.

O governo anunciou o crescimento da receita líquida do estado, onde segundo o mesmo por contra da crise econômica e os juros altos o valor do retroativo do piso de 2011 ficou abaixo do anterior e aquém das expectativas da categoria, devendo ser pago em folha suplementar até o dia 15 de fevereiro.

Com relação aos 1/6 de férias, o mesmo deverá ser pago em FEVEREIRO. Sobre o novo piso (2015) o governo reconhece sua aplicabilidade em janeiro, porém argumentou não ter recursos orçamentários para ter efetuado o seu pagamento e que o gasto com pessoal já está no limite prudencial da lei de responsabilidade fiscal, disse também que está fazendo estudos para a aplicabilidade da lei e que se posicionará no início de março com relação ao pagamento do Piso de R$ 1.917,78.

O Sintepp questionou a não automatização dos pedidos de triênio na Seduc, que fora garantida para o final de 2014. O governo se comprometeu em agilizar os processos.

O sindicato lembrou ainda a lamentável postura dos técnicos da Seduc que em reunião para tratar sobre assuntos referentes à crescente violência em uma escola do município de Abaetetuba, impediram a participação de Beto Andrade, com a alegação de que a direção da escola não queria sua presença. É dever do Sindicato acompanhar as demandas da categoria e não cabe nem à Seduc, nem aos diretores de escola o cerceamento do direito do trabalhador de ter seu representante de classe. A Coordenação Estadual cobrou novamente a criação do Fórum de combate à violência nas escolas e registrou seu repúdio à ação autoritária da Seduc.

Foram ainda debatidas questões previdenciárias, Some, reforma das escolas, eleições diretas para diretor e PAS/IPASEP, tendo se acordado a realização de uma reunião especifica para cada tema.

Diante do cenário obscuro confirmado pelo governo cabe a categoria buscar unidade e organização. Por isso o Sintepp convoca todos os trabalhadores em educação da rede estadual de ensino para ASSEMBLEIA GERAL, no próximo dia 06.02 (sexta-feira), às 9h, no CCNT/UEPA.

Se não pagar o piso, não piso na escola!

Só avança quem luta!

Sintepp Sindicato

Read Previous

Vigias da rede estadual de Santarém…

Read Next

Trabalhadores em educação farão paralisação contra o calote de Jatene

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *