Só a luta muda a vida! Sintepp em defesa dos direitos da classe trabalhadora

Acompanhe as greves e paralisação do sindicato nas Regionais Sul, Xingu e Nordeste II.

Sul

Conceição do Araguaia

Mais de um mês depois do início da greve em Conceição do Araguaia a categoria resiste e espera por uma proposta que dê fim ao atraso no pagamento de salários provocado pelo governo Zilma Souza (PCdoB).

A greve iniciada na 2ª quinzena de outubro deveria ter sido finalizada na semana passada, porém o governo descumpriu o acordo estabelecido com o sindicato e apresentou uma nova proposta de PCCR (outro item essencial na pauta de reivindicação dos trabalhadores), diferente da acumulada em reuniões com a comissão responsável e protelando ainda mais a questão.

Depois de o governo ignorar o Sintepp por uma semana inteira, finalmente hoje (24) ocorreu reunião entre o sindicato e os representantes da gestão municipal, com a mediação do judiciário.

Agora o Sintepp se dedicará novamente avaliar a proposição da administração e apresentar posição para que o plano seja encaminhado para aprovação da Câmara de vereadores sem danos aos trabalhadores.

Outro ponto essencial para que se dê fim ao impasse será a tão aguardada definição de quando o governo realizará o pagamento de salários dos servidores da folha de 10% (ou seja, os trabalhadores que recebem pela administração municipal) que está atrasado há três meses e dos pertencentes a folha dos 40% (correspondente aos recursos do Fundeb) que segue pendente desde outubro.

Quanto aos desvios de recursos comandados na gestão do prefeito afastado Valter Peixoto (PT), o Sintepp aguarda o parecer do Ministério Público Estadual (MPE) depois da negação por 7 votos a 6 na Câmara de vereadores do pedido de comissão processante que cobraria esclarecimentos sobre o manutenção da empresa fantasma Kakarecos Ltda que desviou verbas referentes ao transporte escolar e do projeto Cuca Fresca (emenda do deputado federal Giovanni Queiroz que desapareceu dos cofres públicos em junho passado).       

 

Xingu

Uruará

A greve de Uruará, retomada na segunda-feira passada (17) depois mais um descumprimento de acordo do prefeito Banha (PDT), Também segue ativa no município.

Os educadores não aceitam voltar ao trabalho até que seja apresentada uma solução pelo gestor municipal para as pautas de reivindicação. A Subsede informa que entre os principais itens que justificaram a paralisação estão:

  1. Anulação de direitos do PCCR;
  2. Contra a retirada de gratificações;
  3. Realização imediata de concurso público;
  4. Assédio moral;
  5. Perseguição às lideranças sindicais;
  6. Ilegalidade nos termos de contratação dos servidores.

Além destes, e não menos importantes, estão os pontos encaminhados pela Regional ao MPE que indicam as seguintes violações em Uruará e demais cidades da região:

1. Precariedade do Transporte Escolar;

2. Precariedade na merenda Escolar;

3. Redução  e retirada do tempo de serviço dos professores;

4. Não pagamento do reajuste salarial de 2011 a 2014;

5. Desvalorização dos funcionários de apoio;

6. Não realização da gestão democrática com eleição nas escolas;

7. Pelo fim da contratação exagerada de funcionários leigos para atuar nas escolas;

8. Contra o nepotismo;

9. Situações críticas que os trabalhadores passam nos seus locais de trabalho;

10. Cassação dos prefeitos envolvidos em corrupção;

Em reunião realizada no dia 20|11 entre Sintepp e MPE houve a garantia apresentação de parecer favorável aos trabalhadores por parte dos promotores de justiça.

O Sintepp espera que o governo não repita as agressões registradas em setembro, quando o Batalhão de Choque da Polícia Militar foi acionado pelo mesmo para agredir os manifestantes durante ações da greve, sobre a justificativa de “manter a ordem”.

 

 

Nordeste II

Bragança

Em 20|11 a categoria aprovou continuidade da greve e agenda de mobilização nas escolas. Amanhã (25) os trabalhadores realizarão novamente assembleia geral com ato público na Praça das Bandeiras.

A greve iniciada no dia 17|11, em protesto a negativa do governo Nelson Magalhães (PT) de encaminhar para a Câmara municipal a proposta elaborada pela categoria sobre a atualização do PCCR se mantém fortalecida pela unidade dos trabalhadores.

A perspectiva é conquistar as pautas que estão pendentes e dependem da resposta do governo, que incluem ainda atualização do RJU municipal e concurso público.

 

 

Salinópolis

Depois da paralisação ocorrida na última quinta-feira, dia 20|11 os educadores da rede municipal de Salinópolis aguardarão a reunião agendada para amanhã (25) pela manhã entre Sintepp e governo Paulo Henrique (PSDB), que contará com a mediação de vereadores da cidade.

Em pauta estarão atrasos no repasse do INSS; redução nas gratificações; irregularidades na portaria de lotação e atrasos e lentidão nas reformas das escolas.

A categoria está em estado de greve há mais de um mês e a depender das respostas do governo programará assembleia geral que debaterá a necessidade ou não de radicalização do movimento. Foi consenso durante a paralisação passada de que é mais que urgente a decisão de greve, caso o gestor municipal mantenha a postura de não avançar nas solicitações já encaminhadas pelo Sintepp.

A Coordenação Estadual está acompanhando o andamento das lutas nas redes municipais e já constata a realização de mais 30 greves só neste ano de 2014, fundamentalmente todas relacionadas a retiradas de direitos da classe trabalhadora.

Durante o XXI Congresso Estadual do Sintepp, que ocorrerá nos dias 27, 28 a 29|11, em Belém, será debatida a estratégia política do sindicato para o próximo período e definido o plano de lutas para o ano de 2015.  

Só conquista quem luta!

 

Sintepp Sindicato

Read Previous

CO do XXI Congresso Estadual do Sintepp informa relação de Subsedes aptas para credenciamento

Read Next

Congresso Estadual do Sintepp avaliará as ações deste ano e definirá política interna para 2015

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *