Barcarena: categoria tem contracheques zerados e pede intervenção da Alepa e MP nas negociações

Em greve desde 24 de março, os trabalhadores em educação do município de Barcarena, na Regional Baixo Tocantins do Sintepp, realizaram uma nova peregrinação pelos poderes executivo, legislativo e judiciário daquele município.

Depois de vir até a Alepa, o Sintepp conseguiu apoio da Comissão de Educação da Casa, e a Coordenação Estadual, juntamente com os deputados Edmilson Rodrigues (PSOL) e Nilma Lima (PMDB) estiveram nesta quinta-feira (06/06) na Câmara Municipal, no MP e no Fórum da cidade com o objetivo frear a Ação direta de Inconstitucionalidade do PCCR e o corte de ponto dos grevistas.   

No ano passado os educadores realizaram paralisações e greve para denunciar a precariedade na educação e a incipiente política de valorização aos servidores. De lá cá, na avaliação da categoria, pouca coisa mudou.

No início do ano o prefeito lançou uma portaria de lotação que direcionava para a super lotação dos espaços escolares. A Coordenação da Subsede alertou na época que para as turmas de Jardim estava se montando turmas com até 27 alunos; nas de 1º ao 5º ano a variação era de 30 a 35 alunos, e do 6º a 9º 35 a 40 por turma, contando com a inclusão de estudantes especiais. Esta situação já foi revista graças a pressão dos trabalhadores.

Sem o devido planejamento pedagógico, a sobrecarga para o (a) professor (a) e o corpo administrativo e de apoio seria inaceitável. Entre as outras reivindicações observa-se: reforma de unidades escolares; melhoria na qualidade da merenda escolar e cumprimento imediato do PCCR unificado.

Ocorre que em todas as tentativas de Sintepp de finalização do impasse a resposta do governo veio com intransigência. A categoria, que não foge a luta na busca de seus direitos foi com resistência.

Realizaram-se atos, passeatas, reuniões com a comunidade e foram encaminhadas propostas aos poderes executivos e legislativos, sendo os trabalhadores ignorados pelo prefeito e sua equipe de governo.

Já durante o último CER, a Coordenação Estadual publicizou a deliberação de nosso fórum ordinário que repudiou a atitude do governo Vilaça, pautada no desrespeito aos direitos dos trabalhadores em educação.

O Sintepp lembra que as reivindicações da categoria são de cunho social, pedagógico e salarial. A situação da educação em Barcarena é das piores, e não serão os trabalhadores os principais penalizados pelo desgoverno de Vilaça. 

A greve continua e a categoria se manterá mobilizada até a resolução da situação, e já adianta que se comprometerá em repor todos os dias parados, desde que não haja reposição dos descontos nos contracheques e não retaliação aos grevistas. A Coordenação Estadual seguirá acompanhando a situação.     

Só conquista quem luta!

Junte-se à nós, venha para o Sintepp.

 

Leia mais:

http://www.sintepp.org.br/greve-em-barcarena-avanca-para-um-mes-a-culpa-e-de-vilaca-psc/

http://www.sintepp.org.br/dirigentes-do-sintepp-barcarena-sao-ameacados-durante-manifestacao-nao-nos-calarao/

 

Fotos: Arquivo Sintepp/Divulgação FB

 

Sintepp Sindicato

Read Previous

Diario do Pará – 03_06 – Pará tem o pior índice de atraso escolar do país

Read Next

Oliberal 06_06 – Professsores decidem encerrar a greve

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *