SINTEPP debate com parlamentares congelamento salarial

No fim da tarde desta sexta-feira, 1, dia de Luta da Classe Trabalhadora, nosso Sindicato, representado pelo Coordenador Geral Beto Andrade, mediou o debate “Bolsonaro quer que o servidor pague a conta mais uma vez!”.

A discussão, transmitida pela rede social Facebook, contou com a participação do Senador Paulo Rocha (PT/PA) e do Deputador Federal Edmilson Rodrigues (PSOL/PA).

O recente anúncio do Ministério da Economia Paulo Guedes de medidas que preveem a suspensão de reajustes do serviço público, como o congelamento de salários, em troca de “socorro” de 40 bilhões para estados e municípios recai como mais uma bomba contra os direitos do funcionalismo público e a classe trabalhadora, já vitimada aos milhares pela pandemia do coronavírus, a instabilidade econômica e o desemprego.

A matéria, já votada pela Câmara sem a obrigatoriedade dessa contrapartida atroz, foi recolocada pelo relator no Senado Davi Alcolumbre (Presidente da Casa) e deve ser votada neste sábado (02).

Convocamos nossa categoria a ocupar os espaços virtuais, inclusive dos parlamentares brasileiros, com respostas contrárias a mais este frontal ataque aos direitos das/os trabalhadoras/os brasileiras.

Para assistir ao debate na íntegra clique no link abaixo. 

Debate com Paulo Rocha e Edmilson sobre a ajuda emergencial

O Senado vota neste sábado (02/05) o socorro aos Estados e Municípios de R$ 40bi. O Presidente do Senado, e relator, Davi Alcolumbre, alinhado ao aprofundamento dos ataques aos trabalhadores, inclui no texto a proposta de congelamento salarial para o serviço público, como contrapartida ao socorro.Sobre este tema o SINTEPP debate com o Senador Paulo Rocha (PT) e o Dep. Federal Edmilson Rodrigues (PSOL) a conjuntura nacional e as possibilidades de resistência.

Publicado por Sintepp Estadual em Sexta-feira, 1 de maio de 2020

Geisi Dias

Read Previous

1º de Maio em Defesa da Vida e dos Direitos – SINTEPP Regional Nordeste 1

Read Next

Live: 40 anos do Some

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *