CER encerra aprovando greve contra a reforma da previdência de Helder

Após o intervalo do almoço, o CER retomou as análises dos relatórios da Comissão de Ética, que apresentou os casos de Goianésia do Pará e Parauapebas.
Seguindo foi organizada a mesa para a eleição dos representantes do SINTEPP no Conselho Nacional da CNTE, coordenada por Monica Brito e Ronaldo Rocha. Duas chapas concorreram, sendo a vencedora a chapa 1 composta por Arleia Tenório, Beto Andrade, Cirlene Cabral, Mateus Ferreira, Izabel Sales e Vitoriano Vito.
Continuando houve a mesa de Funcionamento da Casa do Educador, onde a comissão apresentou o relatório da casa e o plenário levantou seus destaques, sendo feitos os ajustes pelos conselheiros. O momento foi coordenado por Beto Andrade e Cirlene Cabral.


Para finalizar o último CER de 2019 foi encaminhada a pauta O que ocorrer, que debateu e aprovou a proposição de retirada da deputada Marinor Brito do projeto de reforma da previdência enviado para a ALEPA pelo governo Helder Barbalho e a greve a partir do dia 17 de dezembro contra a reforma da previdência, quando os parlamentares ameaçam pôr em votação o projeto que é desastroso para a aposentadoria dos servidores públicos do Estado. Os trabalhadores prometem cruzar os braços até que o projeto seja retirado definitivamente de pauta.

Geisi Dias

Read Previous

CER reinicia com debate de Comissão de Ética e Educação do Campo

Read Next

CER aprova GREVE contra a reforma da previdência de Helder

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *