ESCOLA BOSQUE: ENSINO MÉDIO FICA!

?

Em 2017, a Defensoria Pública denunciou a falta de atenção da prefeitura de Belém     com a Educação Básica: eram 78 mil crianças (até 8 anos) fora da escola e há 10 anos não se construía uma escola no município. Diante dessa situação lamentável, o Ministério Público do Pará enviou uma Recomendação ao prefeito: Priorizar a educação fundamental. Mas em momento algum recomendou acabar com o Ensino Médio da Escola Bosque.

Sem querer, realmente, investir em Educação, Zenaldo aproveita para fechar o Ensino Médio da Funbosque, de olho nos recursos da Fundação. Sem construir uma sala de aula sequer, sem planejamento, a presidente da Fundação Padovani autoriza um grupo de pessoas estranhas à equipe técnica da escola a “distribuir” vagas no fundamental. Foram cerca de 700 novas vagas no Fundamental dentro da escola, mas sem qualquer preocupação com a qualidade da educação na escola, sem construir uma sala de aula.

Os resultados foram sentidos pelos professores, por nosso(a)s filho(a)s e por suas mães, pais e responsáveis, na falta de organização, adequação e respeito verdadeiro que vimos ao longo do ano. Um exemplo foi o desastroso Processo Seletivo que não contratou profissionais para as funções que realmente eram necessárias na escola, causando transtorno no cotidiano do aprendizado e segurança dos usuários da escola, e insatisfação pras pessoas que foram contratadas.

Para maquiar o descaso e a precarização da Fundação, a presidência está sempre a distribuir agrados e “doações” superficiais, como uniformes de outras escolas da Semec (?!), ações sociais e até bombons pras crianças que fogem da sala de aula pra se distrair pelo gabinete da presidência (!).

Em janeiro deste ano, um laboratório de química foi destruído e transformado numa sala de aula com quase 50 adolescentes, como se fosse um castigo por lutarmos pelo direito do Ensino Médio da Escola Bosque. A direção negou vagas para quem procurou se matricular no Médio Técnico no início desse ano, para depois dizer que a comunidade não se interessa pelo curso e espalhar calúnias sobre os estudantes e professores.

A verdade é que o Ensino Médio Técnico em Meio Ambiente da Escola Bosque é concorrido, é uma opção de Educação de qualidade em nossa ilha, tem belos projetos acontecendo, e tem dado muitos frutos positivos. Procure conhecer e se informar.

Essa Escola é fruto da esperança e da luta por uma vida boa na  ilha de Caratateua. Não vamos deixar gestores autoritários e inconsequentes acabarem com o que é nosso.

A PREFEITURA…

Quer acabar com o Ensino Médio da Escola Bosque com a desculpa de que tem que gastar com o Fundamental.

MAS…                    .

Acabou de abrir um Processo Seletivo que vai pagar 76 funcionários pra trabalhar nos Cursinhos Pré-Vestibulares de toda Belém.  R$ 300.000 é o valor de apenas um contrato de aluguel de casa na Alcindo Cacela.  Tudo com dinheiro da Funbosque.

A PREFEITURA…

Primeiro afirmou que ia acabar com o Ensino Médio porque o Ministério Público o havia proibido.

MAS…

Era mentira. O Ministério Público recebeu as denúncias sobre a tentativa de acabar com o médio e preparou um processo em defesa do ensino médio da Funbosque que deve ser julgado ainda este ano.

A PREFEITURA…

Diz que não tem compromisso em manter nem uma turma do ensino médio.

MAS…

O ensino médio técnico em Meio Ambiente da Funbosque é garantido por Lei Municipal (7747/95), faz parte da essência da Fundação, que é a referencia em educação ambiental.

NA ATUAL GESTÃO…

Diversos projetos como horta e karatê estão abandonados, as salas superlotadas, a água nos bebedouros é insalubre, falta trilheiros, professores.

MAS…

O salário da assessora da presidência aumentou, a equipe de bajuladores e apoiadores políticos da presidente pode até ganhar sala própria pra permanecer na escola, e sempre aparece muito, mais muito dinheiro para os projetos queridinhos do prefeito.

QUEM QUER TIRAR O ENSINO MÉDIO DA FUNBOSQUE QUER ACABAR COM A PRÓPRIA FUNDAÇÃO.

FIQUE ATENTO: A MAIORIA DOS PROJETOS QUE CARACTERIZAM O DIFERENCIAL DA FUNDAÇÃO ESTÃO ABANDONADOS, ASSIM COMO AS UNIDADES PEDAGÓGICAS DAS ILHAS: URUBUOCA, JUTUBA I e II, ILHA LONGA, FLEXEIRA, JAMACI, SERINGAL E ESCOLAS DA PESCA.

Geisi Dias

Read Previous

Educação paralisa em Defesa da Previdência Pública

Read Next

Prefeitura de Salvaterra envia PCCR para Câmara

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *