Protagonismo dos funcionários da educação de Novo Progresso

O SINTEPP/Subsede Novo Progresso realizou no ultimo dia 31 de agosto o encontro dos funcionários da educação com o tema “Protagonismo dos funcionários da Educação”. Na mesa de saudações do encontro estiveram presentes o Coordenador Geral da Subsede, Marcelo Raiol Moreira e a Coordenadora Sindical da Subsede de Novo Progresso, Regiane Duarte da Cruz; os coordenadores manifestaram as boas vidas ao público presente e externaram a importância dos servidores da educação no ambiente escolar.

A palestra do encontro ficou por conta da professora Izabel Sales, que é Coordenadora Geral da Regional Oeste do SINTEPP e do vigia educacional Lázaro Guedes, que faz parte da Coordenação da Subsede/Itaituba e também é membro da Coordenação da Regional Oeste do SINTEPP.

A professora Izabel Sales, em sua analise de conjuntura, falou sobre as “reformas” aprovadas no Congresso: previdência, trabalhista e a recente MP 871 (Liberdade Econômica), recentemente aprovada no Congresso. Izabel enfatizou que esse conjunto de reformas entrará em prática na vida profissional da classe trabalhadora e que as projeções são nefastas, por entender que tais reformas subtraem direitos e impõem uma nova relação trabalho, deixando os trabalhadores bastante vulneráveis, uma vez  que a MP 871 da todas as condições para a classe patronal impor suas regras.

A segunda mesa de análise debateu a importância dos funcionários da educação, que ficou por conta do palestrante Lázaro Guedes. Lázaro falou da importância do PCCR unificado, como instrumento de conquista de direitos para o trabalhador da educação, frisou em sua explanação a importância das políticas de valorização dos servidores da educação no que se refere aos vigia educacionais, merendeiras, auxiliares de serviços gerais, secretários escolares e auxiliares de secretaria e que esse reconhecimento é construído com a participação na organização da categoria, principalmente assumindo o protagonismo na construção.

Ainda em suas explanações, Lázaro reconheceu os avanços e que muitas mazelas ainda precisam ser combatidas, como a prática do assedio moral que ainda existe dentro do ambiente de trabalho e que pra isso é necessário que os servidores se apropriem das leis trabalhistas e busquem o apoio jurídico do seu sindicato, assim também produzindo um ambiente para o dialogo e a negociação, para que possa gerar harmonia dentro do seu espaço de trabalho.   

Geisi Dias

Read Previous

SINTEPP Ourilândia reivindica valorização profissional para temporários

Read Next

1º de outubro: a Educação vai parar por Piso, Carreira e Valorização

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *