Helder não seja ausente, pague o piso ou pague o preço!

Estamos há pouco mais de 2 meses de governo Helder e até agora nenhuma sinalização concreta de pagamento do PSPN à nossa categoria prometido na campanha eleitoral de 2018 e reafirmado pela Secretária em mesa de reunião. Ressaltamos que na primeira audiência fora informado que seria montada uma equipe de trabalho com a finalidade de apontar uma proposta de atualização do Piso de 2019, contudo na primeira reunião de trabalho desta comissão foram apenas socializados dados já apresentados em reunião anterior.  Estamos há pouco mais de 2 meses de governo Helder e até agora nenhuma sinalização concreta de pagamento do PSPN à nossa categoria prometido na campanha eleitoral de 2018 e reafirmado pela Secretária em mesa de reunião. Ressaltamos que na primeira audiência fora informado que seria montada uma equipe de trabalho com a finalidade de apontar uma proposta de atualização do Piso de 2019, contudo na primeira reunião de trabalho desta comissão foram apenas socializados dados já apresentados em reunião anterior.  O que temos de concreto é a manutenção do compromisso político e público do Governador Helder Barbalho em pagar o PSPN. No entanto, afirmamos que a viabilidade imediata de pagamento do mesmo está no rompimento da pedalada fiscal que Jatene manteve ao logo de seu governo, pagando milhares de profissionais da educação com recurso do MDE (mínimo 25% destinado à educação), hoje são exatos 7.184 servidores que deveriam ser pagos pelo orçamento do IGEPREV, sendo estes recursos suficientes para viabilizar a atualização do Piso.  A falta de objetividade do Governo Helder para com o pagamento do Piso está levando nossa categoria ao fundo do poço se compararmos com a obrigatoriedade do salário mínimo como vencimento base inicial de todas as categorias. Atualmente estamos com nossa remuneração abaixo do salário mínimo. Como mostra o quadro e o gráfico a seguir.

Baixe aqui o pdf do boletim

netozip

Read Previous

12|03 – Assembleia Geral da categoria!

Read Next

SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO NÃO RECEBE OS SERVIDORES DO SEDUCÃO