II Encontro de Comunicação: Democratização, dívida pública, hegemonia e grandes projetos em debate

O sábado (27) seguiu enriquecedor para os participantes do II Encontro Estadual de Comunicação com a primeira mesa do dia, “A Democratização da Comunicação no Brasil”, que contou com a valorosa colaboração de Antônio Carlos, do Movimento Sem-Terra (MST)/PA e Alberto Pimentel da Sociedade de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH)/PA.
O debate possibilitou as Subsedes denunciar a criminalização sobreposta aos movimentos sociais, em especial aos educadores. “Há por trás de todas as ações uma carga ideológica capitalista para criminalizar os sociais”, denunciou Dalva Ramos, Coordenadora da Subsede de Ourilândia, na Regional Sul do Sintepp.
Para o MST/Pa trazer à tona o debate da democratização da comunicação incentiva os movimentos sociais e sindicatos da classe trabalhadora à construir os próprios meios de comunicação, com viés popular. “Debater a democratização da comunicação é extremamente importante no momento atual em que vivemos. Precisamos, além de construir nossos próprios meios de comunicação, incentivar outros movimentos sociais e sindicatos da classe trabalhadora à isso.
Nosso campo de atuação deve ser o da comunicação popular para fazermos a luta contra hegemônica na construção de uma nova sociedade”, direcionou Antônio Carlos, Coordenador de Comunicação do MST/Pa.
Ainda durante a manhã o Sintepp contou com a importantíssima colaboração da Prof. Dr. Luciene Medeiros, Secretária Geral da Adufpa, componente do Grupo de Estudos sobre trabalho docente, política educacional e formação de professores GESTRADO, do ICED/UFPA e representante da Adufpa na Coordenação do Núcleo Estadual da Auditoria Cidadã da Dívida Pública, rearticulado no Pará no ano passado, que mesmo cumprindo tarefa sindical no Curso de Formação do Andes/SN em andamento neste mesmo período em Belém, colaborou novamente com a Categoria em mais este momento de formação; a palestra da professora Luciene foi em parceria com Carlos de Araújo, Coordenador de Comunicação do Sindbancarios/ES.
A mobilização da sociedade para exibir a auditoria da dívida pública é um caminho para cessa-la. “A principal tarefa dos trabalhadores e suas organizações neste momento é mobilizar toda sociedade e exigir a auditoria da dívida pública (interna e externa) conforme previsão constitucional. Porque têm fortes indícios de ilegalidades e não é possível continuarmos pagando uma dívida que não contraímos. Em vez de devedores somos credores”, explicou Carlos de Araújo.
Após o intervalo do almoço, os encontristas seguiram os debates com as mesas “Hegemonia e Luta de Classes: a grande mídia e seu olhar sobre a luta dos (as) trabalhadores (as)”
e “Impactos socio­ambientais a partir da retomada dos grandes projetos na Amazônia”.
Ainda ocorre na noite deste hoje (27) a programação cultural, na Sede do Sintepp, que iniciará com Lançamento do livro “Os bastidores de uma luta” da escritora Enrica Peniche, que conta a história da luta do Sintepp no município de Mãe do Rio, o sarau cultural apresentado pelo poeta Renato Caranã, o show musical de Juliane Maciel e som eletrônico.
Amanhã (28) o II Encontro Estadual de Comunicação Sindical do Sintepp se encerrará, na EE. Anísio Teixeira, após o ciclo de oficinas.

Para acessar os álbuns do evento Facebook clique neste linkaqui.

Geisi Dias

Read Previous

"Instrumentalizar a categoria a usar a comunicação como arma de combate"

Read Next

Contra hegemonizar a mídia e lutar pela comunicação sindical/popular e contra os grandes projetos

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *