Iasep: durante audiência, servidores exigem auditoria e revogação da lei

Em audiência pública realizada na tarde desta quarta-feira (30) o Fórum de Entidades Sindicais exigiu a abertura da caixa preta do IASEP. O plano, que assiste aos servidores públicos estaduais, está sucateado e tem o fechamento constante de convênios, prejudicando pacientes que estão com o tratamento em andamento.
23 entidades denunciaram as limitações no plano, que teve recentemente o serviço odontológico cancelado, e no ano passado teve um projeto de lei (PL) aprovado na surdina que retirou o direito dos servidores de credenciarem seus genitores.
A um clamor dos trabalhadores para que se estabeleça transferência no plano, uma vez que metade do recurso destinado ao mesmo é repassado pelo servidor, que sofre desconto diretamente em sua folha de pagamento. Hoje, dos 11 membros do Conselho do IASEP, apenas quatro são da classe trabalhadora.
Também houve denúncia de privilegiamento de clínicas, em detrimento de outras. O plano, que atende em média 250 mil associados, está cancelando convênios sem prévio aviso aos pacientes, que chegam a aguardar até mais de três meses por uma consulta. Sem contar a falta de especialistas, como o endocrinologista.
O governo fala em falta de recursos para custeio do plano, porém deu isenção no último período de cerca de R$ 6 bilhões à empresas privadas só em tributos fiscais, e através do PL de 2015 ainda tenta aumentar a alíquota que elevará ainda mais o desconto do plano. Têm servidores que gastam quase R$ 3 mil só em uma mensalidade.
Além do procurador do IASEP, estiveram na audiência a OAB e os deputados Iran Lima (PMDB), que convocou a audiência, Sld. Tercio (PROS) e Lélio Costa (PCdoB).
Uma comissão composta por representantes das entidades sindicais encaminhará amanhã (31) documento que solicita auditoria independente no órgão.

Sintepp Sindicato

Read Previous

Contra a redução da matriz curricular, vamos à luta! Ato público, amanhã (31), às 8h00, no IEEP

Read Next

Casa do Educador

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *