Sintepp analisa proposta do governo para suspensão de descontos

Todos (as) às reuniões distritais e nas Subsedes nesta terça-feira (17).

O Sintepp esteve na tarde da última quinta-feira, 12, na Secretaria de Administração (SEAD) para audiência com o governo sobre pautas pendentes da Campanha Salarial 2015. A Coordenação do Sindicato foi representada pelos Coordenadores Gerais Alberto Andrade e Mateus Ferreira e pela Coordenadora Distrital Josyanne Quemel. Pelo governo compareceram a Secretária de Administração, Alice Viana, a Secretária de Educação, Ana Cládia Hage, além dos diretores (as) da Seduc/SAEN/SALE/Sagep/Asjur.

Acompanhe abaixo os principais pontos debatidos na reunião:

1 – Décimo Terceiro Salário

De acordo com o governo não há problema algum com o pagamento do 13º salário. O pagamento acontecerá dentro do prazo legal e integralmente, ou seja, não parcelado. Bem como será com base no salário de dezembro, correspondente aos 12/12 avos.

2 – Portaria de Lotação

Não serão feitas portarias anuais. O governo pretende publicar portaria que seja mais duradoura e seja apenas adequada anualmente.

3 – Jornada com 1/3 de Hora Atividade

O governo afirmou que manterá o limite de 220h para a extrapolação da jornada, e que não avançará para 1/3 de hora atividade. Ou seja, o governo novamente se utiliza da crise econômica para desvalorizar o profissional em educação e transportar nossa remuneração para o congelamento.

4 – Retroativo do Piso 2015

O governo afirmou não ter recursos suficientes para arcar com a 2ª parcela do retroativo do Piso 2015, pois seus esforços serão para cobrir as três folhas de pagamento finais (correspondentes aos meses de novembro, dezembro e do 13º salário). O Sintepp analisará os recursos legais que obriguem o governo a cumprir tal dívida, uma vez que o mesmo ainda tem pendente com nossa categoria o retroativo do piso de 2011.

5 – Encontro de contas

Os valores apresentados pelo governo em relação ao montante de faltas foram bem superiores aos anteriormente projetados. O governo apresentou como valor da dívida do Piso de 2015, um montante de R$ 100 milhões (sendo R$ 70 milhões só para os (as) professores (as) da ativa).

De acordo com o governo, o valor total das faltas é de quase R$ 45 milhões. O total já descontado foi de R$ 16 milhões, faltando ainda serem descontados quase R$ 29 milhões.

A proposta então é que se desconte o valor das faltas pendentes do montante da dívida do Piso. Isso suspenderia os descontos e se negociaria um novo calendário letivo para 2015. A partir daí se negociaria a reposição do que já foi descontado, o que seria pago à medida que fosse sendo reposto.

Se a categoria se dispuser a assinar um acordo, os efeitos jurídicos das faltas podem ser revistos, ou seja: seria possível se “limpar” as faltas da ficha funcional. Entretanto, os descontos só poderiam ser suspensos a partir de janeiro de 2016, visto que, segundo o governo, as folhas do final de ano já estão sendo fechadas.

Conforme deliberação da última assembleia geral da categoria, amanhã (17) realizaremos reuniões distritais e por Subsede para debater a campanha 2015 e o calendário letivo. Venha para o debate, mobilize sua escola e seus (as) colegas. No dia 02/12 ocorrerá paralisação na rede, com Marcha Estadual da Educação em defesa dos 200 dias letivos, com concentração na Praça da Leitura em São Brás.

banner_marcha_estadual_de_educaçãoLeia também:

http://sintepp.org.br/2015/11/sintepp-analisa-proposta-do-governo-para-suspensao-de-descontos/
http://sintepp.org.br/2015/11/pedaladas-de-jatene-precarizam-o-salario-dos-as-trabalhadores-as-em-educacao-2/
http://sintepp.org.br/2015/11/categoria-aprova-paralisacao-no-proximo-dia-02-12/
http://sintepp.org.br/2015/11/chamada/
 

Sintepp Sindicato

Read Previous

“Pedaladas” de Jatene precarizam o salário dos (as) trabalhadores (as) em educação

Read Next

Subsede de Santo do Tauá escolhe nova gestão

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *