Publicação: "A precária realidade da educação nas ilhas de Belém"

sintepp_educação_ilhas_de_belémA Coordenação da Executiva Belém do Sintepp, por meio de seus coordenadores gerais, Maurílio Estumano e Aldo Rodrigues, deram encaminhamento ao I Seminário das Ilhas de Belém, que o correu no dia 29|04|14 na Sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Pará (Sintepp). Esse evento teve como perspectiva a busca por uma melhor compreensão sobre a realidade e os desafios que enfrentam os profissionais de educação e alunos da região das ilhas de Belém.

A Executiva Belém do Sindicato, anterior a esse seminário, para mobilizar para o encontro, efetuou diversas visitas às Unidades Pedagógicas (UP’s) da região insular que margeia a Capital paraense, como: UP Navegantes, UP Jamaci, UP Santo Antônio, UP Combu, UP Mari-Mari, UP Faveira, UP Jutuba I e II, UP Flexeira e outras.

A comissão pôde, in loco, observar e constatar uma dura realidade que atinge as unidades pedagógicas sob responsabilidade da Semec|Funbosque. A UP Nazaré, por exemplo, padece com falta de estrutura adequada para seu funcionamento, pois possui cozinha fora do padrão, para preparo das refeições dos alunos, além de péssimo armazenamento dos produtos; instalações elétricas expostas, esgoto que transborda e gera perigo à saúde das crianças (alunos), salas sem ventilação, móveis deteriorados, etc.

Foram encontradas, ainda, outras situações de infraestrutura irregular, entre elas a construção em madeira improvisada de algumas UPs, já que não possuem área para a prática de atividade de Educação Física, o que contraria a legislação educacional.

As próprias salas de aula, que estão quase caindo sobre a cabeça das crianças e professores, fato esse aliado às péssimas condições de higiene dos banheiros, conhecidos como retretes, localizados fora do prédio da escola, no meio do mato, são um exemplo claro de que é imprescindível, urgentemente, intervenção do Ministério Público Estadual, pois existe, inclusive, o perigo iminente de ataques de animais peçonhentos.

A UP Faveira é outro exemplo de descaso do poder público em relação a essa realidade. A comissão de sindicalistas do Sintepp constatou, em visita, uma situação desoladora e até perigosa quanto ao risco à vida das crianças que lá estudam. Pois, além dos problemas como a falta de lugar adequado para armazenamento de alimentos, salas improvisadas, falta de espaço ajustado para prática da Educação Física, banheiros sem acessibilidade e higiene, há no local um depósito de bujões de gás de cozinha bem ao lado de salas de aula, que dividem espaço com a biblioteca da escola e produtos inflamáveis de limpeza.

Para os alunos não ficarem sem material pedagógico, como tesouras, lápis de cor, papel, borracha, régua e outros utensílios necessários à pratica do ensino|aprendizagem (constantemente em falta!), estes são fornecidos por algumas professoras, que pagam com o próprio dinheiro, para não terem que penalizar ainda mais as crianças.

Outro caso emblemático é o da UP Navegantes, que fica próximo a uma área de depósito de lixo e, por isso, quando a maré enche, acaba vindo com as águas contaminadas pelo chorume do lixo, com odor insuportável, justo na hora do lanche das crianças. Alguns professores e alunos reclamaram de problemas de saúde decorrentes do contato com esse material.

Sintepp Sindicato

Read Previous

Diário do Pará: Rede Municipal – "Professores farão paralisação amanhã"

Read Next

Assembleia Municipal dia 02 de outubro, 9h

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *