Marajó: luta pelo PCCR unificado e fórum da educação aprovados em Plenária Regional

As Subsedes que compõem a Regional Marajó do Sintepp reuniram-se nos dias 12 e 13|09, na cidade de Curralinho para a III Plenária que objetivara avaliar a implementação das resoluções aprovadas nos congressos estadual e regional, e definir os eixos do plano de lutas para o próximo período.

Com o tema central “Cartografia do desenvolvimento educacional: História, práticas e desafios na Amazônia Marajoara”, os dirigentes do Sintepp nas Subsedes de Anajás, Bagre, Breves, Curralinho, Melgaço, Muaná, Portel e São Sebastião da Boa Vista construíram as estratégias políticas e a formação para a categoria. As Subsedes de Afuá e Chaves justificaram a ausência, pois não tiveram recursos para enviar representantes.

Na manhã do 1º dia, além da mesa de abertura, composta pela Coordenação da Regional e representantes de todas as Subsedes presentes, ocorreram as mesas de debate com os temas “Conjuntura da organização sindical”, tendo os como palestrantes os educadores Edmilson Rodrigues, Fernando Carneiro, Marinor Brito e Pedro Maia, e “Política sindical: desafios atuais na organização sindical da ilha do Marajó”, que tiveram contribuições dos professores Marcos Soares e Oclécio Lacerda.

A tarde os trabalhos da mesa título da Plenária evocou os seguintes desafios: PCCR Unificado; Formação para gestores, professores e técnicos; Nucleação escolar; Proposta curricular e material didático atualizado e contextualizado; Infraestrutura escolar (prédio, biblioteca); Formação técnica, postura ética humanizadora, sensível ao dialogo do nacional, do global com local; Formação de nova mentalidade política acerca das coisas publica, da participação nas políticas de planejamento; Educação para a sociodiversidade e intercultural. O palestrante foi o prof. Agenor Sarraf.

Os debates do dia 12|09 se encerraram com o eixo II sobre Previdência Social brasileira. Na oportunidade o Assessor Jurídico do Sintepp Paulo Henrique Correa explanou sobre os dois regimes públicos básicos em vigência no país: Regime Geral de previdência Social (RGPS) e Regime Próprio de Previdência Social (RPPS).

A 1ª etapa de debates da manhã do 2º e último dia os participantes se dedicaram a analisar os informes das lutas e enfrentamentos nas Subsedes. Ao que a Coordenação Estadual, representada pelo Coordenador da Secretaria de Comunicação Eloy Borges, alertou que a ausência de juízes e promotores dificulta ainda mais as perspectivas de conquistas da classe trabalhadora. Ao que lembrou também as deliberações do CER que orientam as Subsedes a elaborarem dossiês que sistematizem a atuação do judiciário nas cidades e esclareçam se o mesmo atua a favor dos (as) educadores (as) e da sociedade. A avaliação atual é preocupante.

Logo após instalou-se a mesa: “O desafio das subsedes e na Construção dos PCCR’s Unificados”, cujo palestrante foi o Prof. Marielson Guimarães ao que o plenário refletiu sobre os dados: A carreira e a remuneração como elemento da valorização repassam pela formação, pelas condições de trabalho de carreira e pela remuneração equivalente; A carreira pode movimentar-se em diferentes esferas como, por exemplo, as provenientes de formação das experiências em efetivo exercício de trabalho e de tempo de contribuição; e quem são os profissionais que devem ser valorizados.

Antes do intervalo para o almoço realizou-se o debate sobre permanência ou não na Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e de filiação a uma Central Sindical. Coordenaram os trabalhos os professores Bruno Baia (Regional Marajó) e Eloy Borges (Coordenação Estadual), sendo indicado que um nosso debate deve ser marcado para exaurir o tema.

A tarde a plataforma IV direcionou discussões sobre PSPN, PNE, 10% do PIB para educação, que foi coordenada por Wilson Carlos (São Sebastião da Boa Vista) e o palestrante foi novamente o prof. André Guimarães. Logo depois os grupos de trabalho formularam propostas dos eixos acumulados nos dois dias.

Para encerrar os dirigentes do Sintepp aprovaram o plano de lutas que incluem entre outras prioridades a luta pela unificação dos PCCR’s, o fórum de defesa da educação pública, visita as Subsedes que estão com dificuldade de organização e etc. Após a aprovação por aclamação das resoluções o Sintepp deu por encerrada a III Plenária da Regional Marajó.

Só conquista quem luta!

Junte-se a nós, venha para o Sintepp.

Sintepp Sindicato

Read Previous

26|setembro – paralisação municipal, todos ao ato na frente do TJE (Alm. Barroso), 9h

Read Next

Giro no interior: redes municipais suspendem atividades escolares em resposta ao autoritarismo de prefeitos

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *